Como lidar com boatos no escritório

De repente chegaram aos seus ouvidos rumores de que o seu chefe se
preparava para anunciar grandes mudanças na empresa. Anda em pulgas.
Não consegue evitar saltitar entre boatos e olhares furtivos, tudo
lhe parece ter segundas e terceiras intenções. E já nem consegue
concentrar-se nas suas tarefas.

Já lhe confidenciaram que se tratava de uma promoção. Já lhe
garantiram que vinham aí despedimentos. E a secretária do primeiro
andar até chegou a contar-lhe com ar grave a conversa que ouviu –
por acidente, claro… – entre dois administradores: que a empresa
tinha sido comprada por um grande investidor que tinha um historial
de adquirir companhias, parti-las aos bocados e vendê-las a quem
oferecesse mais. O seu colega do lado, porém, tem a certeza de saber
o que se passa: o seu chefe foi apanhado nas câmaras da garagem em
cenas muito pouco próprias com a mulher do patrão e o vídeo chegou
a estar na internet – ele próprio ainda chegou a vê-lo! – mas
já foi desactivado.

Ridículo, não é? Pois bem, esse é o único caminho a que leva
a especulação. Ao exagero, à imaginação exacerbada, a histórias
mirabolantes em que nunca acreditaria se não estivesse tão
envolvido na história. Se ninguém sabe que influências se movem
nos bastidores – se é que elas existem – porque é que insiste
em ouvir ou mesmo inventar teorias, na maioria das vezes descabidas,
para justificar qualquer coisa que, na verdade, nem sabe se é real?
O ponto é: provavelmente, é você (e os seus colegas) que está a
fabricar um facto, ao escutar e alimentar rumores. E a bola de neve
só tem tendência a crescer e a precipitar-se sobre o escritório a
alta velocidade, arrastando todos os que apanhar pelo caminho para o
precipício.

O que fazer quando nasce um boato no escritório? Bem, em primeiro
lugar, aprenda a controlar-se. Antes de mais, lembre-se que tudo pode
não passar precisamente do diz-que-disse. Basta uma conversa ouvida
fora do contexto ou uma má interpretação da linguagem corporal do
seu chefe e colegas para lhe dar uma ideia errada do que está a
acontecer à sua volta. E convencer-se de que algo se passa é
suficiente para começar a achar qualquer movimento outrora vulgar
altamente suspeito.

Por outro lado, se realmente os boatos tiverem fundamento, mais
cedo ou mais tarde há-de ter conhecimento daquilo que se passa. E
nessa altura, com todos os factos na mão, poderá então analisar os
acontecimentos, as suas perspectivas e agir em concordância –
preparar-se para o melhor ou para o pior, ou, se for caso disso,
arrepiar caminho e dedicar-se a accionar a sua rede de contactos de
maneira a conseguir saltar fora antes de o barco explodir.

Até lá, se uma mudança importante estiver realmente a ser
preparada nas suas barbas, o melhor que pode fazer é mesmo
concentrar-se no seu trabalho e fazer ver a todos os que estão à
sua volta quanto vale. A melhor forma de proteger o seu lugar e a sua
carreira é empenhar-se no trabalho.

Chefe de redacção adjunta

Escreve à segunda-feira

Escreve de acordo com a antiga ortografia

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
epa05492274 A handout picture provided by Intel Corp. on 17 August 2016 shows Intel CEO Brian Krzanich (L) and Technical Marketing Engineer Craig Raymond (R) demonstrating the Project Alloy virtual reality headset during a presentation at the Intel Developer Forum in San Francisco, California, USA, 16 August 2016.  EPA/INTEL CORPORATION/HANDOUT  HANDOUT EDITORIAL USE ONLY/NO SALES

Project Alloy. Não é realidade virtual, é realidade misturada

Catarina Martins diz que 2017 será o ano do "combate às rendas, na saúde e como na energia".

Catarina Martins: “Nenhum passo atrás e nenhuma transigência”

Rui Freire conta com experiência na Microsoft, grupo Havas e Global Media Group. Fotografia: DR

Rui Freire passa da Microsoft para o grupo Omnicom

Em 2015, a cadeia celebrou o14.º ano de atividade em Portugal com remodelação dos armazéns de Lisboa e Porto.

Lucros do El Corte Inglés em Portugal sobem 3,8% em 2015

Fotografia: REUTERS/ Lucy Nicholson

Estes são os atores mais bem pagos do mundo, segundo a Forbes

arranjar emprego

Gig economy. A nova moda do mercado laboral não serve a Portugal

Conteúdo Patrocinado
Como lidar com boatos no escritório