Carreiras

Como ser empreendedor dentro de uma grande empresa

Sara do Ó

Intra-empreendedorismo: a arte de ser empreendedor dentro de uma grande empresa

Como motivar os colaboradores diariamente é uma preocupação constante de qualquer líder que queira assegurar o crescimento e a continuidade da empresa de forma eficiente e eficaz. Mas o que é a motivação? Quando é que uma pessoa se sente verdadeiramente motivada no desempenho das suas tarefas? Quando se sente parte da empresa, quando o seu contributo é válido e acrescenta valor, e quando lhe damos espaço para ser criativo e empreendedor nas suas tarefas e projetos.

E o que é um verdadeiro líder? Qual o seu papel para despertar a motivação intrínseca de cada pessoa e para que esta se sinta parte de um todo e indispensável no crescimento da organização? O líder é o facilitador do desenvolvimento criativo de cada pessoa da organização, é o “caça-talentos” que aproveita e estimula o melhor e a genialidade de cada pessoa da sua equipa. Estas são algumas das questões com que nos deparamos e as respostas que procuramos todos os dias.

Hoje já se fala bastante em empreendedorismo, que no fundo é a capacidade que cada pessoa tem de criar o seu próprio negócio, fazendo algo de novo que possa ser verdadeiramente transformador. Mas esta capacidade e vontade de empreender está dentro de muitos dos elementos que compõem as nossas organizações. E, nesse caso, o que fazemos? Como gerimos os talentos destas pessoas que estão connosco diariamente?

É aqui que surge a necessidade de as empresas rasgarem a lógica hierárquica e avançarem para aquilo a que hoje chamamos “intra-empreendedorismo”. No fundo, é motivar os colaboradores, que têm uma vontade intrínseca de empreender, e dar-lhes a possibilidade de crescer e inovar, acrescentando ao mesmo tempo valor à organização, seja na implementação de uma nova área de negócio, no desenvolvimento de um novo produto, na mudança de processos ou na abertura de um novo escritório.

A transformação das equipas a que hoje assistimos leva inevitavelmente à transformação das empresas e das pessoas que as constituem. É por isso que nós, enquanto líderes empreendedores, que desenvolvem as competências de criar e fazer acontecer, não devemos deixar escapar as “nossas” pessoas e o seu espírito empreendedor. Somos os guardiões da cultura e dos valores da empresa, que vamos passando diariamente pelo exemplo, como não copiar ou não querer um projeto seu.

Leia também: O que precisa de saber para reestruturar a sua empresa

A prova é que olhamos para o lado e deparamo-nos com uma quantidade de colaboradores que desenvolveram competências de liderança extraordinária, com capacidade de trabalho acima da média e, principalmente, com integridade e caráter que admiramos e nos identificamos. Só podemos apostar neles. Neste sentido, devemos ser verdadeiramente facilitadores de talentos, dando espaço a que o espírito empreendedor seja uma característica das nossas organizações.

Ser um líder que acredita no poder do intra-empreendedorismo é ter alegria de ver um colaborador que sai da sua zona de conforto, que enfrenta o medo de falhar, ganha asas e vai voar. É ter de novo a adrenalina de voltar a ver um espaço vazio, com secretárias para montar, um orçamento reduzido, dúvidas por onde começar, com apenas um cliente, ter de fazer tudo, pensar de noite, fazer de manhã… e o frio na barriga volta! Um empreendedor não consegue resistir a um novo desafio.

Quando um membro da minha equipa me abordou com a ideia de expandir a empresa para uma nova região do país, com a estratégia montada de forma eficaz e com a capacidade de ser ele a liderar um novo projeto, não hesitei em dar-lhe espaço para avançarmos e o intra-empreendedorismo passou a fazer parte da cultura empresarial do Grupo Your.

Os negócios são como desportos de equipa, por isso, de mão dada com outro, desafiemos os colaboradores a empreender. A segurança de uma estrutura já existente, de um modelo testado e de uma equipa de gestão disponível só pode fazer com que a vontade de arriscar seja maior.

Sara do Ó é CEO do Grupo Your

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Como ser empreendedor dentro de uma grande empresa