Opinião

Defendemos as empresas há 170 anos

Fotografia: Direitos reservados
Fotografia: Direitos reservados

Os tempos são outros, mas continuaremos a manter os princípios que norteiam a nossa atividade há 170 anos, patentes no nosso Plano Estratégico

Esta semana teve lugar o jantar comemorativo do 170.º aniversário da AEP, que reuniu duas centenas de ilustres convidados, de praticamente todos os quadrantes da nossa sociedade, demonstrando uma grande abertura da Associação ao trabalho em rede.

Toda a cerimónia foi vincada por um enorme simbolismo. Desde logo, o espaço onde foi realizada – a Casa Ferreirinha – pertencente à Sogrape, considerada por mais do que uma vez a melhor empresa de vinhos do mundo.

Cumprimos a tradição de homenagear os Sócios que completam 50, 75 e 100 anos de filiação, abrangendo três empresas, a Solidal, a Têxtil Manuel Gonçalves e a Ach Brito, respetivamente. Atribuímos a distinção máxima da nossa Associação, o grau de Sócio Honorário, à Fundação de Serralves e aos ilustres empresários António Mota e José António Barros.

Pudemos contar com a presença de quatro membros do governo e de sua Excelência, o Senhor Presidente da República que, como tive a oportunidade de referir no momento, muito nos honrou e que nos continua a estimular pelos permanentes desafios que lança à classe empresarial, que também reconhece assumir um papel incontornável no crescimento da economia e no desenvolvimento sustentável do país. E aqui não posso deixar de citar algumas das palavras por si proferidas “São os empresários privados os fatores de crescimento e de justiça social. São eles o fator decisivo do progresso do país. Foi assim, é assim e será sempre assim”.

Defender os interesses das empresas, promover a formação profissional, apoiar, através da prestação de serviços e da promoção dos produtos, o desenvolvimento e a internacionalização das empresas. São estas, desde há 170 anos, as responsabilidades que a AEP a si mesma cometeu. E é nelas que assenta toda a atividade que continuamos a desenvolver, como se vê em todas as ações que iniciamos, todos os empreendimentos que nos propomos – mesmo os provocadores ou controversos – sempre enformadas pelo espírito de serviço às comunidades locais e nacional.

Os tempos são outros, mas continuaremos a manter os princípios que norteiam a nossa atividade há 170 anos e que estão bem patentes no nosso Plano Estratégico: a promoção do papel do empresário e das empresas, o reforço da cooperação associativa e o funcionamento em rede, estabelecendo parcerias, potenciando sinergias e trabalhando de forma ainda mais próxima com as Empresas, dando resposta às suas reais necessidades e crescentes exigências do mercado.

 

Paulo Nunes de Almeida, presidente da Associação Empresarial de Portugal

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, conversa com o presidente e CEO da PTT Exploration and Production (PTTEP), Phongsthorn Thavisin durante a conferência de imprensa de anúncio da venda da Partex à empresa tailandesa, na sede da fundação em Lisboa
TIAGO PETINGA/LUSA

Gulbenkian vende negócio do petróleo e gás. Onde vai investir agora?

Fotografia: D.R.

Deficiência. Peritos aconselham troca de benefícios fiscais por outros apoios

Outros conteúdos GMG
Defendemos as empresas há 170 anos