Opinião: Rosália Amorim

Efeitos eleitorais na economia?

Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Conselho de Finanças Públicas volta a dar alertas. Desta vez o aviso prende-se com a despesa que está a ser assumida pelo Estado com pessoal. É que o crescimento do número de funcionários é o dobro do previsto no Programa de Estabilidade. Sim, o dobro.

O Conselho está preocupado com o impacto do descongelamento das carreiras dos funcionários públicos, como por exemplo os professores do básico e do secundário, bem como com o aumento na contratação de trabalhadores e a regularização de precários.

Há meses que Nazaré Costa Cabral, que preside ao Conselho de Finanças Públicas, tem vindo a advertir para o impacto destas medidas na despesa do Estado. Agora decidiu emitir um comunicado, em jeito de semáforo amarelo, alertando que há rubricas que estão a crescer mesmo muito acima do ritmo previsto no mês de abril, no Programa de Estabilidade enviado para Bruxelas (o PE2019).

À medida que o período eleitoral se aproxima, as despesas crescem mas as contas públicas não agradecem essa subida, muito pelo contrário. Contenção em tempo eleitoral precisa-se!

Uma nota final, para dar conta de mais um mês de liderança alcançada pelo Dinheiro Vivo, como marca económica número um no digital em Portugal. Obrigada aos leitores!

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido REUTERS/Henry Nicholls - RC12D8BECE70

Boris Johnson ganha eleições britânicas com maioria absoluta

Trump Xi China

Trump assina acordo inicial com China para evitar tarifas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

EDP processa o Estado. Elétrica exige 717 milhões de euros

Outros conteúdos GMG
Efeitos eleitorais na economia?