Empresas precisam de otimizar os dados quando as economias enfraquecem

A insegurança global e o aumento da inflação tornam os próximos meses extraordinariamente imprevisíveis para o tecido empresarial. A este desafio acrescem fatores como os atrasos na cadeia de fornecimento e a escassez de mão-de-obra que, mesmo antes da guerra na Ucrânia, já haviam levado a confiança dos gestores a estar num mínimo de 18 meses.

Uma área chave para a indústria nos seus preparativos face ao enfraquecimento económico é a adaptabilidade dos dados, de acordo com o relatório da Fujitsu "The great data acceleration - Today"s data opportunities, tomorrow"s business success". O relatório tem por base um inquérito a mais de 500 gestores executivos em nove regiões e cinco setores - o qual concluiu a existência de uma maior confiança entre os industriais que implementaram estratégias de dados para maximizar as oportunidades. Quando se trata de alavancar os dados para responder a problemas e fazer intervenções precisas, 65% dos líderes na área da indústria acredita que é agora mais eficaz do que antes da pandemia. A título de exemplo, no setor público esta percentagem é de 29% e nos serviços financeiros é de 41%. O setor da indústria também lidera no uso efetivo dos dados para tomar melhores decisões, com um resultado de 69%. Os responsáveis pelas TI na área da indústria também são mais otimistas no que toca à capacidade de os colaboradores acederem aos dados. A confiança subiu 14% face aos níveis pré-pandemia, quando comparada com os aumentos de zero por cento no setor público e de apenas 2% nos serviços financeiros.

No entanto, apesar destas leituras positivas por parte dos líderes da indústria, os especialistas da Fujitsu no setor acreditam que muitas empresas ainda têm um longo caminho a percorrer para criar organizações verdadeiramente adaptáveis, com capacidades de transformação dos dados que lhes permitam adaptar-se rapidamente em quaisquer circunstâncias. A Fujitsu destaca no relatório que, apesar de o setor da indústria ter um melhor desempenho face à média global em oito dos 11 atributos investigados no estudo, os resultados são menos animadores na análise de melhoria de rendimentos futuros. Outras áreas em que a indústria tem respostas abaixo da média são o uso de dados para alinhamento com colegas, monitorização de regulamentos, conformidade e segurança, e a adaptação, personalização e/ou melhoria da experiência do cliente.

Com cadeias de fornecimento globais complexas a contribuírem para a inversão atual nos níveis de confiança na indústria, o setor precisa de encontrar maneiras de se tornar mais ágil durante este período extraordinário de mudança. A Fujitsu tem visto como a maioria dos clientes globais da indústria aproveitam as plataformas baseadas na cloud e na hybrid cloud para criar organizações mais ágeis e reativas. Mas ainda não chegámos lá. Como o relatório demonstra, há áreas chave em que os industriais ainda têm muito trabalho a fazer, especialmente no uso de dados para personalizar e melhorar a experiência do cliente, incluindo o estabelecimento de um fio digital ponta-a-ponta. Prevemos que o papel central dos clientes será o próximo nível de importância para os industriais de todo o mundo que procuram reduzir despesas, gerar margens mais elevadas ou alcançar objetivos de sustentabilidade.

Hugo Martins, Data Analytics Tech Lead, Fujitsu Portugal

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de