Estacionário é pouco

No passado dia 27 de julho, Jordan Peterson publicou um vídeo no Youtube com uma advertência aos canadienses, sob o título: Reflections On The Sorry State of Canada. Recomendo vivamente. Não só porque não aparece na imprensa portuguesa como revela muitos dos problemas que aí se avizinham. Sobretudo, em países outrora tidos como estandartes do Ocidente livre e que, hoje, estão na linha da frente da luta pela venezuelização woke do universo.

Peterson não é economista. Mas, se fosse, talvez este seu apelo lhe recordasse o velho problema do estado estacionário. Tanto para Adam Smith como para David Ricardo, o crescimento económico deve-se à acumulação de capital gerada pelo excedente. No entanto, este processo de acumulação é contraditório, no sentido em que não só se expande como se retrai.

Para Smith, o ponto de saturação sucederia quando a acumulação de capital implicasse aumentos salariais combinados com baixas de preços, resultando numa diminuição dos lucros. Já Ricardo alegava que este ponto se alcançaria quando a população crescesse de forma desproporcional à suas necessidades alimentares. Por sua vez, Stuart Mill tem uma visão mais positiva, sustentando que a saturação poderia ser superada pela tecnologia, relações de comércio e investimento com o exterior, bem como pela destruição de capital em tempos de crise.

O estado estacionário ocupou, assim, a mente dos economistas ao longo dos séculos. E para não me ficar pelos clássicos, recordo que o neokeynesiano Robert Solow foi galardoado com o Nobel, em 1987, justamente pelas suas contribuições para a teoria do crescimento económico, intrinsecamente ligada ao tema em questão.

No fundo, porém, andaram todos a perder tempo. Afinal, para quê estudar o assunto, na teoria, quando, na prática, o estado estacionário é deliberadamente provocado por socialistas desmiolados como o Sr. Trudeau?

Em sete anos de governo, não faltou radicalismo fiscal, regulatório, ecológico, sexual (ou, de género) e pandémico, acompanhado de um nível de repressão que escandalizaria qualquer ocidental, se os media não tratassem de o ocultar.

Resultado, diz Peterson: segundo a OCDE, a economia canadiense é a que tem "piores projeções de crescimento, entre as principais sociedades industriais, para os próximos 40 anos". Estacionário é pouco, Sr. Trudeau, isto é pura destruição.

João AB da Silva, economista e investidor

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de