Opinião

Lidl, de crisálida a borboleta

Criado nos anos 30 no sul da Alemanha, o LIDL foi fundado por Josef Schwarz, tendo o nome “LIDL” surgido de um seu antigo parceiro de negócios, Ludwig Lidl, a quem foi comprado o nome pela módica quantia de 1.000 marcos alemães.

A internacionalização começou no início dos anos 90, estando atualmente presente em 30 países, com perto de 11.500 lojas, mais de 375.000 colaboradores, 136 centros de distribuição. Em 2018, ultrapassou a fasquia dos 100 mil milhões de vendas, o que lhe dá a segunda posição no ranking retalhista mundial, logo a seguir à Walmart.

Acompanhei a entrada em Portugal do Lidl e conheci pessoalmente Olaf Arnashus o alemão que introduziu com tanto êxito a empresa no nosso país e, desde então até aos nossos dias, a evolução do Lidl foi notável, uma verdadeira metamorfose de crisálida a borboleta.

Longe vão os tempos das lojas espartanas, escuras e feias, sem meios tecnológicos e de pagamento, sem qualquer tipo de comunicação, além da Dica da Semana, com sortido muito limitado e total ausência de serviços.

Hoje, as lojas são sofisticadas nos seus lineares e materiais usados, na iluminação que realça um sortido alargado e de crescente qualidade e variedade, nas novas secções de padaria e cafetaria, na forte segmentação e elevada qualidade das suas marcas exclusivas, nas novas tecnologias usadas que muito contribuíram para mudar a imagem de discount store em smart store.

De facto, ao longo dos últimos anos, o LIDL tem vindo a apresentar aos seus clientes sortidos crescentemente variados, certificados segundo as melhores práticas de sustentabilidade e rotulagem, dando cada vez mais a conhecer aos seus clientes informações sobre a origem e as caraterísticas dos produtos, assumindo práticas contratuais éticas com os fornecedores, assegurando melhores condições de trabalho, direitos humanos, proteção ambiental, qualidade e consciência nutricional, nomeadamente através de uma estratégia de redução do teor de açúcar, de sal e de gordura nos alimentos, enquanto respostas concertadas às exigências da lei, do mercado e das novas tendências.

Recentemente, numa nova paixão pelas novas tecnologias criou a solução de compras mais rápidas que designou por LIDL Shop & Go, o que, para um discounter puro e duro que fazia da obsessão pela redução de custos, exclusivamente para a formação do preço, um verdadeiro dogma, é uma iniciativa verdadeiramente revolucionária e disruptiva.

Não é assim de estranhar que o LIDL tenha ultrapassado o seu grande rival ALDI em quase tudo, desde o volume de negócios e número de lojas até à implementação das novas tecnologias mas, principalmente, na percepção dos consumidores que incontestavelmente o preferem.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

BCP, Berardo e calúnias. As explicações de Constâncio no inquérito à CGD

Outros conteúdos GMG
Lidl, de crisálida a borboleta