Metodologia Lean será motor de desenvolvimento das TI"s no pós-pandemia

O mundo empresarial moderno tem-se revelado nos últimos anos cada vez mais competitivo. A necessidade das empresas se diferenciarem umas das outras é um dado consumado e tem sido uma das principais preocupações dos gestores da atualidade. A implementação de projetos Lean tem vindo a aumentar significativamente, sendo já parte integrante da estratégia de muitas organizações.

Proveniente do TPS (Toyota Production System), desenvolvido na Toyota desde 1949 até 1975, a metodologia Lean tem como principal objetivo eliminar desperdícios e reduzir a variância processual, centrando a produção das empresas no que efetivamente providencia valor acrescentado ao cliente, removendo o trabalho sem qualquer valor.

Mas a ideia de que a metodologia é aplicável apenas à indústria automóvel e de manufatura é algo ultrapassado. O Lean assume, hoje em dia, uma presença considerável no setor dos serviços, nomeadamente nas empresas de Tecnologias de Informação (TI"s). Desde a redução de custos, ao aumento da produtividade e à otimização dos processos, através da eliminação de desperdícios, o Lean proporciona às empresas ganhos de curto, médio e longo prazos, capazes de melhorar o seu desempenho, aumentando ao mesmo tempo a satisfação dos clientes, cada vez mais importante na era em que vivemos, nomeadamente nos tempos que correm.

Quando há cerca de dois anos a pandemia surgiu, muitas organizações tiveram de se adaptar a uma nova realidade, onde a adoção dos princípios Lean se encaixa na perfeição. A diminuição do poder de compra, a escassez de recursos humanos e materiais e a procura pela redução de custos impulsionaram a redução de desperdícios, dando lugar à implementação de um sistema de produção "pull", produzindo apenas o necessário, baseado nas ordens de encomenda dos clientes. Assim sendo, muitas empresas têm procurado desenvolver um produto, de acordo com as necessidades e preferências dos clientes e com o que realmente lhes proporciona valor, para que deste modo possam maximizar a satisfação destes e minimizar os custos e riscos associados.

No seguimento destas práticas encontra-se um outro pilar da filosofia Lean, talvez o mais importante e que todas as organizações se devem focar: o "Kaizen". Esta palavra, de origem japonesa, significa Melhoria Contínua, onde "KAI" significa mudar e "ZEN" para melhor. Esta temática tem-se revelado, cada vez mais, uma forte arma competitiva e um fator diferenciador em tempos de Covid-19.

Na verdade, se olharmos para a economia mundial, o que aconteceu foi que várias empresas estagnaram, devido à perda de receitas e consequente redução de lucros, não tendo acompanhado a evolução natural do mercado e da tecnologia, o que fez com que outras tivessem surgido com ideias novas ou com oportunidades de diferenciação perante as demais.

Sendo o setor das TI"s um dos mais competitivos da atualidade, a implementação de projetos Lean, de acordo com a filosofia descrita anteriormente, adaptada caso a caso, permitirá, assim, às organizações reduzir custos e obter ganhos competitivos, mantendo sempre o foco no cliente, inovando e produzindo o que realmente lhe traz valor acrescentado.

Glória Peixe, Senior Project Manager da agap2IT

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de