O poder do BI numa gestão eficiente

A análise, toda ela, quando bem executada, traz benefícios e permite-nos tomar melhores decisões, mais fundamentadas. Quando transpomos e aplicamos esta prática para o seio das organizações, e ainda aplicamos elementos de business intelligence (BI), os resultados e insights obtidos fazem a diferença no processo de tomada de decisão e permitem-nos definir um conjunto de ações, antecipadamente.

Vivemos numa época em que a tão afamada data é entendida como o petróleo do século XXI. A recolha e tratamento dos dados na esfera digital tem impelido a afirmação de uma nova área, cada vez mais fulcral, num período em que a personalização e o detalhe são elementos-chave para conquistar os Clientes.

Todos os dias, na Repsol, com acuidade, congregamos e tratamos um vasto leque de informação, normal numa empresa com esta dimensão, presente em todos os distritos do país e que comercializa vários produtos energéticos. O BI é, então, essencial para, de uma forma estratégica, tratar o manancial de dados da organização, através da recolha, e análise de qualquer tipo de informação relevante, possibilitando as melhores decisões para os negócios.

Em 2018, um estudo da consultora McKinsey, intitulado "Analytics comes of age", já fazia referência ao potencial do Analytics e à miríade de oportunidades do BI, sem nunca prever a aceleração da digitalização extremada após o desencadear da pandemia. O relatório enfatiza como a análise inteligente ganhará uma preponderância ainda maior e investiga setores onde esta análise poderá marcar a diferença, em mercados tão competitivos, onde as barreiras geográficas se esbateram.

Importante ressalvar e esclarecer que o BI não é uma tecnologia per si, mas antes um processo coadjuvado por tecnologias e softwares que procura transformar e atribuir significado a grande volume de informações sobre um tópico relacionado ao negócio. Esta faculdade de associar e relacionar dados, muitas vezes dispersos, e identificar padrões é o que torna esta ferramenta tão valiosa e útil para as grandes empresas.

A utilização de BI traz um conjunto de vantagens para além do auxílio na tomada de decisão, potenciando uma vantagem competitiva no mercado no sentido em que permite compreender melhor os comportamentos dos clientes, melhorar os processos internos, identificar oportunidades de negócio e prevenir falhas.

Na área de Apoio à Gestão - unidade criada para dar apoio aos negócios na tomada de decisão - procuramos, iterar processos, de uma forma eficiente, sempre numa lógica de melhoria contínua, para que os negócios tomem as melhores decisões possíveis. Procuramos padrões e ver para além dos dados.

De facto, a época é de abundância em termos de data, não obstante, o que fazemos com ela, ou melhor, a maneira como a trabalhamos, analisamos, simplificamos os dados e construímos métricas e indicadores confiáveis é que marca a diferença e aporta valor aos negócios, e, consequentemente, ao serviço prestado ao Cliente.

Graça Braga, diretora de Apoio à Gestão Repsol Portuguesa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de