Opinião

Opinião. De mau aluno a “história de sucesso”

centeno

A decisão já era esperada, mas foi confirmada ontem pelos ministros das Finanças da União Europeia: o Ecofin oficializou a saída de Portugal do PDE

A decisão já era esperada, mas foi confirmada ontem pelos ministros das Finanças da União Europeia: o Ecofin oficializou a saída de Portugal do PDE – procedimento por défice excessivo. O tema teve destaque nas redes sociais. Na conta do Twitter da Comissão Europeia em Portugal foi colocada uma foto do comissário europeu Valdis Dombrovsky com a seguinte mensagem: “Parabéns aos portugueses pelo que alcançaram! Ministros das Finanças confirmam saída do PDE.” Valdis Dombrovsky disse ainda aos jornalistas, na sequência da decisão do Ecofin e após reunião em Bruxelas, ver “com satisfação que os ministros das Finanças tenham aprovado a nossa recomendação para a saída de Portugal do PDE”.

Elogios e satisfação que foram acompanhados de alertas. O comissário responsável pela área do euro defendeu que o trabalho a fazer por Portugal ainda não está concluído: “Hoje é o dia para celebrar. Amanhã é o dia para continuar o trabalho árduo. É a altura certa para Portugal continuar o esforço de reformar a sua economia”.

Menos esperado foi, uma vez mais, o elogio de Wolfgang Schäuble que veio verbalizar que o resgate de Portugal é uma “história de sucesso”. O ministro das Finanças alemão deixou palavras de conforto ao país por querer pagar antecipadamente 10 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Isso prova, segundo Wolfgang Schäuble, que o resgate “é uma história de sucesso”.

Mas o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) faz alguns reparos ao programa de assistência, sobretudo em relação ao problema da fragilidade da banca nacional. Identifica que essas “fragilidades do sector bancário não foram propriamente identificadas durante o programa e, como resultado, as reformas necessárias para fazer face ao crédito malparado não foram levadas a cabo durante esse período. Desse modo, o crédito malparado é ainda motivo de preocupação.”

De banca, mas também de economia em geral, de energia e da EDP fala Mira Amaral. O ex-ministro e ex-banqueiro é o entrevistado desta semana no programa ‘A Vida do Dinheiro’, numa parceria Dinheiro Vivo-TSF.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

IEFP. Número de desempregados inscritos desce em julho para valores de 2008

exportacoes

Défice externo dispara no primeiro semestre

telemóvel-800x450

Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Opinião. De mau aluno a “história de sucesso”