Opinião: Carlos Coelho

Opinião. Fernando Guedes. ‘Sograpiness forever’

(Leonel de Castro / Global Imagens)
(Leonel de Castro / Global Imagens)

Fernando Guedes deixou-nos o seu legado de felicidade de Mateus a Barca velha, de Avintes à Nova Zelândia.

Nos 75 anos da Sogrape, ao ser condecorado por Marcelo Rebelo de Sousa com a grã-cruz da Ordem do Infante D. Henrique, Fernando Guedes disse que se o seu pai estivesse vivo, estaria muito feliz. Mas nos seus olhos a felicidade era toda sua, perante a admiração de uma sociedade inteira que vê na sua Sogrape um excecional exemplo de empreendedorismo alinhado com os recursos endógenos do país.

A Sogrape nasceu como a empresa criadora de um dos primeiros concept wines do mundo: Mateus Rosé; uma ideia da genialidade de seu pai, que, em plena Segunda Guerra Mundial, inventou uma garrafa inspirada no cantil dos soldados e decidiu enchê-la com vinho rosé, numa altura em que ninguém sabia o que isso era. Fernando Guedes foi um orgulhoso estafeta da tocha vínica de Mateus, uma marca que conseguiu chegar aos quatro cantos do mundo. Mas não foi um mero transportador de passado, foi um construtor de futuro, rigoroso e exigente, um gestor patrimonialista que criou as infraestruturas para o sonho crescer, trouxe terra, técnica e rigor; reforçada com aquisições de marcas portuguesas com grande projeção, como a Ferreira e a Sandeman, e sustentada pelo investimento na diversificação de produção de vinho nas origens no “novo mundo” com a Argentina, Chile e Nova Zelândia.

Foi o patriarca de uma grande família de colaboradores por quem sempre teve um sentimento de família alargada: “Esta é a nossa casa e como é a nossa casa nós defendemo-la contra tudo e contra todos.” Fernando Guedes deixou o seu legado de Mateus a Barca Velha, de Avintes à Nova Zelândia, de uma grande família de pessoas e de marcas, que fazem da Sogrape uma das mais bem-sucedidas embaixadoras de Portugal no mundo. Mas na base de tudo isto estava a felicidade de Fernando Guedes.

É assim que me vou lembrar dele para sempre: no palco, na festa de Natal, em Avintes, entre cortinas, antes de todos entrarem para ver a sua nova marca corporativa. Era feliz, como uma criança no colo de uma grande marca, que cresceu num terroir único de Sograpiness e que, no fundo, ele sabia que essa era a casta da eternidade.

Presidente da Ivity Brand Corp e da Associação Portugal Genial

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
: PÁGINAS : LIXO 08-09 NEGÓCIOS Eólicas + Opinião

Eólica vs. solar. Que energia dominará a Europa em 2030?

Turistas no Miradouro São Pedro de Alcântara, em Lisboa.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Ourém recua, Guimarães pondera. São já 8 os municípios que cobram taxa turística

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve confiante numa estabilização do mercado britânico

Outros conteúdos GMG
Opinião. Fernando Guedes. ‘Sograpiness forever’