Opinião

Opinião. Portugal de saltos altos!

heels

Portugal tem um JNsQuoi na sua Marca. Versace calça Goiaba (Guava), Hermés imprime Bela Silva , o Marais vai ter eNeNe (Noveaux Navigatours), Tom Ford é Amorim Luxury

Um dos exemplos que mais uso para explicar de uma forma simplificada a multidimensionalidade das marcas, desconstrói a tese da racionalidade do consumo. Se um extraterrestre viesse agora fazer um estudo de mercado para desenvolver sapatos de mulher, rapidamente concluiria que os saltos altos são disfuncionais, estranhos, supérfluos.

Contudo, uma mulher ocidental de meia-idade, com algum poder de compra, guarda religiosamente no seu armário, em média, 25 pares de sapatos de salto alto, todos eles essenciais para a sua felicidade.
Afinal o que é supérfluo ou o que é essencial e qual a sua implicação na economia. Os saltos simbolizam a procura da valorização e da totalidade do ser humano. De saltos altos uma mulher sente-se mais sexy, mais bonita, melhor consigo e com os outros, acrescentando mais que apenas uns centímetros à sua existência física, mas uma dimensão estética, emocional e social, ao ato de andar.

Nesta metáfora, os sapatos de salto alto representam a pós-racionalidade e a capacidade de equilibrar os 4 quadrantes das marcas.

O 1º quadrante é o funcional, é indispensável mas é higiénico. Marcas muito fortes, apenas neste quadrante, tendem a ser marcas fracas.

O 2º é o estético, antes considerado supérfluo, ocupa hoje um papel fundamental na valorização das marcas. Somos seres de juízo estético, julgamos o mundo por aquilo que vemos. No 3º quadrante, o emocional, as marcas vivem a sua capacidade de seduzir. Os consumidores, não assumem, mas no mundo das marcas como na vida, adoram ser seduzidos. O 4º quadrante é o social e o mais emergente; é onde se vota com a carteira e é aquele onde se distinguem as grandes marcas.

As marcas são as atrizes principais da economia e como tal não são transações, são relações que se querem fortes e sedutoras,

Portugal tem hoje um JNsQuoi na sua marca e já começamos a não precisar de estar em bicos de pé, para ser notados. Versace calça os saltos altíssimos da Goiaba (Guava), Hermés imprime Bela Silva, o Marais vai ter eNeNe ( Noveaux Navigatours), Nespresso sabe a Mariana Rodrigues, Lacoste tem Oliveira Baptista, e Tom Ford é Amorim Luxury.

Para continuar a dar o salto da nossa Marca de Portugal precisamos de caminhar de saltos bem altos, num equilíbrio de “essensualidade” (essencial e sensual), como tudo na vida deveria ser.

Presidente da Ivity Brand Corp e da Associação Portugal Genial

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: DR

Renováveis custam em média 11 euros por mês às familias na fatura da luz

Comissário Europeu Carlos Moedas
( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

“É preciso levantar a voz contra o discurso anti-empresas do PCP e do BE”

Herdade da Comporta deverá conhecer um novo proprietário em breve. FOTO: Carlos Santos/Global Imagens

Comporta. Proposta de Paula Amorim e milionário francês é a única vinculativa

Outros conteúdos GMG
Opinião. Portugal de saltos altos!