Opinião

Os reis da conveniência

Conheça as 10 apps mais famosas
Conheça as 10 apps mais famosas

Quando comecei a instalar no novo telefone as aplicações que uso normalmente, apercebi-me da quantidade de serviços que uso através de aplicações

O meu telefone avariou-se. Quando comecei a instalar no novo telefone as aplicações que uso normalmente, apercebi-me do quanto mudaram os meus hábitos de vida. Agora que penso nisso, lembro-me que uma das coisas que me chamaram à atenção quando me mudei para Nova Iorque, foi a quantidade de embalagens amontoadas no hall dos prédios.

O sistema de distribuição nos Estados Unidos é altamente evoluído e permite o aparecimento de muitos negócios, que não existiriam se não houvesse este sistema de distribuição. Tudo começa com a necessidade de satisfazer os desejos da geração Millennial, uma geração altamente virada para a conveniência. Os Millennials compram online duas vezes mais do que os Baby Boomers e já 20% dos americanos usam os canais de social media como método preferido para as suas compras. Não sendo Millennial, nem Baby Boomer, estas são as aplicações que uso no meu dia a dia:

Comer em casa. Usamos uma aplicação chamada Plated. O Plated é um serviço de refeições customizadas, criadas por um grupo de chefs de cozinha. Todas as semanas escolhemos as refeições que queremos, encomendamos e chegam-nos a casa uma caixa refrigerada. Os ingredientes vêm hermeticamente fechados em saquinhos, feitos à medida, acompanhados de uma receita passo a passo (ilustrada por textos e fotografias altamente bem produzidas). Cada refeição dá para duas pessoas e não há qualquer tipo de desperdício. Se não nos apetecer cozinhar, usamos uma app chamada Seamless.

Roupa. Compro muita roupa online. Já o fazia quando morava em Lisboa, mas aqui é um pouco mais fácil, pois se não gostar ou não me servir, vou a loja e devolvo. A minha namorada usa uma aplicação que eu acho absolutamente revolucionária. Chama-se Rent The Runway e é um serviço de aluguer de roupa de designer. Paga um X por mês e pode ter até quatro peças de cada vez, podendo trocar as vezes que quiser. Entregam no mesmo dia se for em Nova Iorque e de um dia para o outro se estiver a viajar e precisar que lhe entreguem a roupa noutro estado.

Médicos. A recomendação boca a boca não funciona numa cidade deste tamanho, por isso uso uma aplicação chamada ZocDoc. O Zocdoc é um serviço gratuito de marcação de consultas médicas online. Cada médico tem um perfil, com foto e toda a informação necessária: a especialização, onde estudou, os diplomas e as críticas escritas pelos pacientes.

Limpeza da casa. Uso uma aplicação chamada Handy para os serviços de limpeza. Tal como no ZocDoc, os perfis com as melhores críticas são os mais requisitados. Escolhemos um homem a dias, uma máquina a limpar!

Televisão. Não tenho TV por cabo (infelizmente, a Altice não está disponível no meu bairro). Tenho internet. Subscrevemos mensalmente várias aplicações: Netflix, Showtime, HBO e FuboTV (canais de desporto).

Música. Uso uma aplicação chamada Songkick, que me avisa todos os dias se as minhas bandas favoritas estão em concerto na minha área. Quando acordo e ligo o telefone, as primeiras notificações que tenho são do Songkick. Para comprar bilhetes uso uma aplicação chamada TicketWeb. Para stream, uso o Spotify.

Recados. Se precisar de alguém que me vá fazer um recado, uso uma aplicação chamada TaskRabbit.

Pagamentos. Para pagar os recados, a babysitter, o homem a dias, ou um amigo que nos emprestou dinheiro porque nos esquecemos da carteira, uso uma aplicação chamada Venmo. Para transferências de valor mais elevado, uso uma aplicação chamada Transferwise.

Para tudo e mais alguma coisa: Amazon. Dispensa apresentações.

E para terminar. No outro dia vi na rua uma coisa que me fascinou. Um Ford Mustang azul a ser entregue aos seus futuros donos. Existe uma aplicação chamada Carvana que é um serviço de venda de carros online, onde não existe qualquer tipo de interação física com humanos. Escolhemos o carro que queremos na aplicação, compramos e de seguida o carro é entregue à porta de nossa casa. Quem não quiser usar a aplicação pode ir a sede de Carvana e comprar o carro numa vending machine. Sim. Uma vending machine gigante, com centenas de carros disponíveis.

Sou fã do comércio tradicional e de uma boa conversa. De pegar nas coisas, cheirar, ouvir… de passear ao fim de semana pelas ruas e fazer compras. Por outro lado sou adepto de tudo o que existe com o objetivo de tornar as nossas vidas mais fáceis. Aplaudo qualquer tipo de tecnologia que apareça para complementar ou aperfeiçoar o que já existe.

North American Executive Creative Director na VMLY&R Nova Iorque

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Motoristas de matérias perigosas marcam nova greve para início de setembro

O advogado e porta-voz do sindicato nacional dos motoristas, Pardal Henriques. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Pardal Henriques foi a personalidade mais mediática da greve

Outros conteúdos GMG
Os reis da conveniência