Opinião

Petróleo barato ou caro? Depende da geografia

Petróleo em semana de valorização

Os ataques aos dois petroleiros no Golfo Pérsico fizeram soar as sirenes nos mercados internacionais.

Os ataques aos dois petroleiros no Golfo Pérsico fizeram soar as sirenes nos mercados internacionais. Antes desse acontecimento, que ocorreu na quinta-feira, em Portugal a gasolina estava oito cêntimos mais barata do que há um ano e a tendência, confirmada pelos analistas, era de descida dos preços dos combustíveis para os próximos meses.

Estas notícias estavam a animar a economia nacional, mas os empresários – para quem as despesas com energia representam um ou o principal custo -, mal tiveram tempo de brindar à baixa de preços. Foram surpreendidos com os ataques aos petroleiros que logo vieram agitar o preço do Brent. O valor abriu em alta na sexta-feira, no mercado de futuros em Londres, com o barril de petróleo a valer 61,75 dólares, mais 0,50% do que no fecho da sessão anterior.

A tensão geoestratégica nesta região do mundo não é nova, seja entre Estados Unidos e Irão, seja também por pressão da tensão acumulada entre Estados Unidos e China – os dois grandes consumidores de petróleo do mundo e que, em conjunto, absorvem um terço da produção mundial.

Do lado de alguns produtores de petróleo, na geografia do Golfo e também de África, esta subida é uma boa notícia. Veja-se o caso de Angola: apesar do esforço para a diversificação da economia, o petróleo continua a ser a principal fonte de receita do país e, indiretamente, Portugal poderá beneficiar com isso devido à sua relação de parceria estratégica com a economia angolana.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Costa pede mais reformas a Costa

Illu - Site-02

Viagens ao espaço deixam turismo com a cabeça na Lua

Illu - Site-02

Viagens ao espaço deixam turismo com a cabeça na Lua

Outros conteúdos GMG
Petróleo barato ou caro? Depende da geografia