Opinião

Planos para o país e os media

Ilustração jornais

Nesta edição, não só os setores tradicionais ganham (ainda mais) voz mas também o setor dos media.

Os debates para as legislativas têm preenchido os espaços nos jornais, rádios e televisões, mas também têm ocupado os palcos e os corredores dos grandes fóruns empresariais. As conversas acerca dos programas eleitorais de cada partido alimentam as conversas, mas é acima de tudo sobre o programa de eventual novo governo PS (ou PS com mais algum aliado/geringonça) que se debruçam as vozes dos principais decisores económicos. Por isso, esta semana o Dinheiro Vivo perguntou a vários líderes “que medida gostaria que o próximo governo tomasse”, independentemente da composição e cor do novo executivo. Da energia à agricultura, passando por muitas outras áreas, fica aqui publicado uma espécie de programa alternativo de governo, com muitas e boas sugestões.

E a comunicação social, senhores?
Nesta edição, não só os setores tradicionais ganham (ainda mais) voz mas também o setor dos media. Numa era em que a digitalização se tornou uma arma de guerra para fazer face aos grandes players internacionais e em que a sustentabilidade dos meios de comunicação social nos deveria inquietar a todos – mas, infelizmente, apenas ouvimos o Presidente da República manifestar a sua preocupação para com o tema -, convidámos vários diretores de Informação a responder à questão “Que medida gostaria que o próximo governo tomasse, relativa aos media?”. As respostas são muito distintas, se por um lado qualquer intervenção pública contém perigos, por outro lado nada fazer implica uma série de novos riscos para o sistema democrático.

Aproveitamos para agradecer aqui, publicamente, aos nossos colegas jornalistas/diretores e que são também concorrentes de mercado que, de forma construtiva, aceitaram participar em prol de um debate que se quer sem tabus e pautado pela verdade – um princípio basilar do jornalismo.

Acreditando que promover este debate, acerca da liberdade e sustentabilidade da comunicação social é um serviço público, convido a todos a ler esta edição, em especial o destaque desta semana. Boas leituras!

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves. (ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

TAP compromete-se a “adicionar e ajustar planos de rota”

O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Costa. Lay-off deve deixar de ser fator de perda de rendimento

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

1356 mortos e 31292 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Planos para o país e os media