Podia até ter sido só um

Não me interessa que o crime tenha sido cometido por 33 homens, que tenha sido partilhado nas redes sociais, ou que tenha envolvido armas ou não.

Podia ser apenas um homem e com falinhas mansas.

A questão é apenas uma. E é aqui que percebemos que isso dos direitos iguais entre homens e mulheres ainda é uma luta para muitos anos. Nenhuma mulher merece ser abusada. E entenda-se que “abusada” pode ser física, ou psicologicamente, com maior ou menor gravidade, porque será sempre igualmente inadmissível.

Uma mulher veste-se como quiser, bebe o álcool que quiser (não estou a falar de saúde), toma as drogas que quiser (mesmo que eu seja contra todas elas). Uma mulher comporta-se como quiser e nunca, repito nunca, está a pedir para ser abusada.

E pode até estar a seduzir um homem e a insinuar que o deseja, que quer ter relações sexuais. Se depois de tudo isso lhe disse que não, não é não.

A culpa de uma agressão nunca é da vítima. Simplifiquemos com um exemplo que nos revolte menos as entranhas. Se a minha casa foi roubada porque deixei a porta aberta posso ser esquecida, mas ninguém tem o direito de entrar no meu espaço, é a minha intimidade.

Servem estas palavras, exatamente iguais para mulheres ou homens. Mas a verdade é que nunca vi ninguém dizer que um homem está vestido como um prostituto, ou mesmo a pedir para ser abusado. Ou que “aquele oferecido está mesmo a pedi-las”.

A verdade é esta: existe sempre uma atenuante para estes homens, eles não sentiram uma vontade incontrolável de abusar, em conjunto, daquela miúda, e nem sequer inventaram um crime.

A industria pornográfica continua a ser a imagem das mentalidades, mas também as estimula. Pesquisem. Não existem filmes em que várias mulheres estão a “usar” um homem, não existem filmes em que as mulheres abusam dos homens (com a exceção do sadomasoquismo, em que a mulher abusa porque o homem pagou, ou pediu explicitamente para isso -- gostos são gostos), não existem filmes em que o sexo é agressivo para as mulheres que estão sempre em posição de submissão.

Não! Não é normal! Não é assim que as coisas acontecem no mundo real, não é disso que as mulheres gostam e nem sequer acredito que seja isso que dá prazer a um homem.

A mudança das mentalidades também pode começar por aí.

Escritora e autora do blog Dias de Uma Princesa

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de