Opinião

Por que é que os CEO precisam de Data Analytics e Inteligência Artificial?

José Oliveira, Bi4all

As empresas devem antever vários cenários, sejam eles de oportunidades ou de riscos.

O atual contexto económico acontece a um ritmo frenético, e é caracterizado por uma gigantesca competitividade do mercado. Isto é um enorme desafio se tivermos em consideração a capacidade que as organizações têm de planearem e adequarem as suas decisões para o futuro. É, portanto, um sinal óbvio de que as empresas devem antever vários cenários, sejam eles de oportunidades ou de riscos.

Contudo, esta antecipação de cenários coloca-nos perante duas situações diferentes. A primeira é a suposição de não existir qualquer antecipação de cenários por parte das organizações. A segunda prende-se com a hipótese de serem realizadas avaliações desinformadas ou com base em dados imprecisos, ou até mesmo incorretos. Em ambas as situações, as consequências são evidentes e traduzem-se, por exemplo, numa grande dificuldade em compreender onde se deve posicionar a empresa, em inovar, liderar, compreender quais as necessidades dos clientes, fazer frente à concorrência e quais as áreas para onde se devem canalizar os investimentos. Assim, é essencial obter vários dados da nossa atividade, para que possamos retirar o máximo proveito a nível estratégico, e podermos assim transformar os insights gerados em vantagens competitivas.

Segundo as previsões do IDC, em 2019, mais de 50% das 500 maiores empresas portuguesas apresentarão uma equipa dedicada à transformação digital. E, até 2023, 60% das empresas do G2000 vão ter um ecossistema de digital development com milhares de developers e metade destas empresas irá gerar mais de 20% das suas receitas digitais através do seu ecossistema/plataforma digital.

Estes dados reforçam a importância destas equipas especializadas, mas, também, a importância, para as empresas, de terem uma sólida base tecnológica, que seja capaz de suportar toda a máquina e processos analíticos. Como tal, é inegável que o fator de sucesso das organizações passe pela transformação de dados em insights, e que a aposta em soluções de Data Analytics e de Inteligência Artificial (IA) constrói um conjunto de competências analíticas forte e assertivo.

O CEO tem, assim, um papel fundamental na estratégia de preparar e adaptar a organização, e as respetivas equipas, para este futuro digital, e para os novos métodos de tomada de decisão, tendo sempre em mente que o sucesso da organização irá depender da forma como as decisões são fundamentadas e implementadas.

As soluções de Data Analytics e Inteligência Artificial desempenham assim um papel fundamental no trabalho do CEO e de toda a organização, e permitem monitorizar, em tempo real, as operações, e deste modo é possível responder de forma imediata aos desafios, o que potencia o aumento da performance e um maior envolvimento em todos os processos da organização.

É essencial que o CEO consiga ter acesso a insights importantes e fiáveis, que possibilitem ter uma visão geral do desempenho e das atividades da empresa, para que possam ser tomadas decisões assertivas e precisas, em qualquer momento e em qualquer lugar.

Em suma, a tecnologia oferece aos CEO a oportunidade de agilizarem os seus processos, de tomarem decisões mais informadas, de otimizarem os negócios, de gerarem mais oportunidades, analisarem a performance das suas equipas, conhecer melhor a concorrência, e de antecipar tendências de mercado.

Num mercado pautado pela transformação digital, as soluções tecnológicas permitem que as organizações se mantenham competitivas e aumentem a rentabilidade do negócio.

José Oliveira é CEO da BI4ALL

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Centros comerciais e Lojas do Cidadão em Lisboa encerrados até 04 de junho

Fotografia: D.R.

Teletrabalho continua obrigatório para grupos de risco e pais sem escola

Movimento de utentes numa estação do Metropolitano de Lisboa, durante a pandemia da covid-19, em Lisboa, 19 de maio de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

AML quer mais oferta de transportes e reforço da higienização

Por que é que os CEO precisam de Data Analytics e Inteligência Artificial?