Prémios e reconhecimentos, motores de desenvolvimento organizacional

É cada vez mais evidente a necessária preocupação das organizações na concretização das suas missões, prevendo e avaliando os impactos da sua atividade, diretos ou indiretos, na comunidade em que estão inseridos.

Trata-se de uma clara manifestação de responsabilidade social, traduzida muitas vezes num conjunto de instrumentos de gestão que permitem que uma organização seja gerida tendo em consideração os aspetos económico-financeiros, sociais e ambientais, matéria âncora do desenvolvimento económico-social e ambiental das empresas.

Ademais, a forma como uma entidade se apresenta ao mundo e ao mercado, também influencia o seu desenvolvimento e o modo como é reconhecida ou identificada. Os valores, princípios e códigos de conduta adotados, mesmo que evoluindo e aperfeiçoando-se ao longo do tempo, refletirão a ética da organização e influenciarão os seus créditos de confiança, transparência e de cidadania empresarial.

Para além dos questionários de avaliação dos consumidores ou das campanhas publicitárias, uma das formas de que as empresas dispõem para dar a conhecer as suas atividades, produtos ou serviços é candidatando-se a prémios e reconhecimentos que permitam, por um lado, apresentar o produto ou serviço da organização mas, também, talvez muito mais interessante, a apresentação voluntária da sua atividade a uma avaliação externa e isenta para que se possa comparar, em concorrência direta com outras entidades, criando quadros de referência de qualidade que inspirem ou motivem investimento presente e futuro, para além de beneficiarem - nem que seja só pela referência de disponibilidade - da divulgação que cada concurso ou candidatura proporciona.

Em Portugal já são muitas as entidades, pequenas, médias e grandes empresas, de diferentes setores de atividade, públicas e privadas, que incluem no seu ADN de gestão dimensões de responsabilidade social e ética empresarial. Por outro lado, população e consumidores, mais informados e exigentes, demandam das organizações características e deliveries que vão muito além dos serviços prestados ou produtos produzidos. O desafio de candidaturas a reconhecimentos inter e intra setores económicos é maior e o seu resultado assume, por isso, significados relevantes.

O reconhecimento oriundo de entidades como a Associação Portuguesa de Ética Empresarial (APEE) ou a Global Compact Network Portugal (GCNP)/ Aliança para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), às empresas, no âmbito das Boas Práticas de Responsabilidade Social, tendo presente os ODS 2030 que a todos convoca, ao mesmo tempo que responsabiliza as empresas reconhecidas, permite-lhes também receber contributos externos sobre áreas e ações de melhorias a desenvolver no futuro, para melhor qualidade do serviço público ou privado prestado, promovendo um desenvolvimento organizacional forte e sustentável.

Presidente do Conselho de Administração da Gebalis//Escreve à quinta-feira

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de