Pergunte ao Advogado

Programa Adaptar: Os apoios a micro e PMEs

Fotografia: José Sena Goulão/Lusa
Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Se é empresário esta informação pode interessar-lhe

O Decreto-Lei n.º 20-G/2020, de 14 de maio veio criar o denominado Programa Adaptar.

O que é o Programa Adaptar?

O Programa Adaptar consiste num sistema de apoios e incentivos para as micro, pequenas e médias empresas adaptarem a sua atividade empresarial, no contexto da doença Covid-19.

Aplica-se em todo o território?

O Programa Adaptar tem aplicação em todo o território do continente.

Qual é objetivo Programa Adaptar?

Este programa tem como objetivo minorar os custos acrescidos para o restabelecimento rápido das condições de funcionamento das empresas no contexto da pandemia da Covid-19, garantindo o cumprimento das normas estabelecidas e das recomendações das autoridades competentes.

Como posso saber se a minha empresa se pode candidatar?

São elegíveis para efeitos dos incentivos previstos no Programa Adaptar os projetos inseridos em todas as atividades económicas.

Excetuam-se do âmbito do programa os projetos que se enquadrem no setor da pesca ou aquicultura, no setor da produção agrícola primária e florestas; no setor da transformação e comercialização de produtos agrícolas e florestais, bem como os projetos que incidam nas seguintes atividades; financeiras e seguros; lotarias e outros jogos de aposta e, em especial, fabricação de armamento e fabricação de veículos militares de combate.

Onde posso apresentar candidatura?

As candidaturas são apresentadas no âmbito de aviso para apresentação de candidaturas, e são submetidas através de formulário eletrónico simplificado, disponível no Balcão 2020.

Posso apresentar mais que um pedido ao abrigo do Programa Adaptar?

Ao abrigo deste programa apenas é aceite uma candidatura por empresa.

Posso usufruir de outros apoios públicos para a adaptação da empresa à Covid-19?

Os incentivos concedidos ao abrigo do Programa Adaptar não são cumuláveis com outros auxílios públicos para as mesmas despesas.

APOIO ÀS MICROEMPRESAS

Quais são os critérios de elegibilidade das microempresas beneficiárias:

São beneficiárias as microempresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica, desde que legalmente constituídas e com a situação contributiva regularizada.

Qual o incentivo atribuído?

O apoio consiste numa comparticipação, a fundo perdido, em 80% das despesas realizadas, com um limite mínimo de 500,00 euros e máximo de 5000,00 euros. Estas despesas terão de ser, naturalmente, relacionadas com a adaptação da empresa no contexto do Covid-19.

Importa ainda frisar que, o projeto onde são enquadradas estas despesas, terá de ter uma duração máxima de 6 meses, tendo como data limite para a sua execução o dia 31 de dezembro. Mais ainda, são elegíveis, retroativamente, as despesas, realizadas desde o do dia 18 de março.

Não são elegíveis as despesas em trabalhos da empresa para ela própria, na aquisição de bens em estado de uso e nem IVA recuperável.

No que consiste o incentivo às microempresas?

Como já antedito, os apoios são atribuídos sob a forma de subvenção não reembolsável, vulgo, a fundo perdido.

A taxa de incentivo a atribuir é de 80 % sobre as despesas elegíveis.

APOIO ÀS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS (PME)

Quais são os critérios de elegibilidade das PME beneficiárias?

São beneficiárias as PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica, desde que tenham a sua situação tributária e contributiva, bem como a situação em matéria de reposições, no âmbito dos financiamentos dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI), regularizadas. As empresas que entendam aceder a este apoio terão ainda de estar legalmente constituídas, com data de constituição anterior a março de 2020, e não serem enquadradas como empresa em dificuldades.

Qual o incentivo atribuído?

Tal como no caso das Microempresas, o apoio consiste numa comparticipação, a fundo perdido, mas no caso das PME em 50% das despesas realizadas, com um limite mínimo de 500,00 euros e máximo de 40 000,00 euros. Estas despesas terão de ser, como antedito, relacionadas com a adaptação da empresa no contexto do Covid-19.

No caso das PME, diferentemente do regime definido para as Microempresas, as despesas enquadráveis no projeto apresentado pela empresa, terão de se reportar apenas a despesas realizadas após a aprovação do projeto, pela autoridade competente. Não tem a tal retroatividade supra descrita.

Já a duração do projeto, terá de ser também de 6 meses, tendo como data limite para execução o dia 31 de dezembro de 2020.

Não são elegíveis as despesas em trabalhos da empresa para ela própria, na aquisição de bens em estado de uso e nem IVA recuperável.

No que consiste o incentivo às PME?

Os apoios são atribuídos sob a forma de subvenção não reembolsável, ou seja, também a fundo perdido.

A taxa de incentivo a atribuir é de 50 % sobre as despesas elegíveis.

 

Eduardo Castro Marques, advogado de laboral, Cerejeira Namora, Marinho Falcão

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Nazaré Costa Cabral, presidente do Conselho de Finanças Públicas. (João Silva / Global Imagens)

Cenário severo em 2020. Défice nos 9%, dívida em 142%, desemprego nos 13%

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Apoios à TAP formalizados “em breve” depois de consultas com Bruxelas

Foto: Fábio Poço/Global Imagens)

Costa promete linha para converter AL em arrendamento para jovens

Programa Adaptar: Os apoios a micro e PMEs