Opinião

Um Mundo em mudança, claro!

transito-1-6fb0b3b857c141c30c9b894c3d7e94e803b2b26c

Os novos desafios são cada vez mais exigentes e assentam, claramente, nas questões da sociedade, globalização, alteração climática, sustentabilidade, empreendedorismo, equidade social, cooperação, participação ativa, ética e responsável, segurança, paz….

Evitando desemprego, desigualdade social, questões de migração, polarização e extremismo político, radicalismo, extremismo social. Dentro destas questões e de muitas outras possíveis de elencar, saltam à vista as mais angustiantes e urgentes. Os desafios ambientais. Compreenda-se que todos outros não são menores, repita-se, não são menores, mas neste momento, as questões ambientais serão, dentro deste elenco, as que comprometem a Humanidade a muito curto prazo.

Ao longo da História, assistimos a várias mudanças mais ou menos profundas de mentalidades, de orientações comportamentais, de quereres e de saberes, adequadas ao seu tempo, às suas vivências. A mudança que hoje se está a operar, tem o seu paralelo em todo esse decorrer da História, que deixa marcas, evidencias, testemunhos da passagem do Homem. Mas, na História, essas mudanças eram lentas, com impactos globais reduzidos, as questões eram mais resilientes ao tempo e à passagem do tempo. Hoje, a mudança é assustadoramente rápida, impactante e profunda. Dia-a-dia a tecnologia, o dito desenvolvimento e a facilidade de comunicação marcam um novo Mundo.

Não é nova a tendência para as questões ambientais. Os alertas da comunidade científica e académica têm já vários anos de preocupações. A sociedade, ao contrário dos ambientes políticos, já sente a necessidade de mudança para um mundo mais sustentável há algum tempo. Os ambientes políticos surpreenderam-se agora, depois de plasmada esta realidade nas eleições que aconteceram a 26 de maio.

Surpresa? Pois não deviam… Surpresa querermos viver num Mundo com mais qualidade? Surpresa querermos a paz e não a guerra? Surpresa querermos o nosso bem-estar e não a doença mal atendida e mal cuidada? Surpresa querermos deslocar-nos para o trabalho com alguma qualidade e sem impedimentos de terceiros?

Senhores governantes as pessoas contam! Queremos respirar. Podemos ser empreendedores sendo sustentáveis, podemos inovar pensando na qualidade de vida, podemos ser criativos para criar um mundo mais agradável? Mas cuidado com os discursos pseudo-sustentáveis! É preciso atender aos grandes desafios do mundo real mas com rigor, cientificidade, conhecimento e não mais enganos. Estamos fartos de enganos! Permitam-nos… viver!

Docente e investigadora da Universidade Portucalense
Diretora do DTPC – Departamento de Turismo, Património e Cultura

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Um Mundo em mudança, claro!