Uma década de Jornadas Empresariais AEP/Serralves

A transferência de tecnologia para as empresas é, também, fundamental para sustentar aumentos significativos do valor das exportações portuguesas

A Fundação AEP comemora uma década de existência. Nas suas diversas atividades, destacava a realização das Jornadas Empresariais AEP/Serralves, organizadas juntamente com a Fundação de Serralves, que vão já na sua décima edição.

Muitos foram os temas abordados, sempre muito críticos para a sociedade e seu futuro, sempre em prol da difusão de conhecimento na área empresarial, apoiando as empresas e os empresários na resposta aos desafios da sociedade contemporânea. Estes são propósitos que estão vertidos na missão destas duas fundações.

Vale a pena fazer uma breve retrospetiva das temáticas das Jornadas Empresariais, proferidas por inúmeros e excelentes oradores - personalidades de reconhecido mérito.

Nas primeiras Jornadas o tema foi “Portugal 2020”, seguindo-se “A reindustrialização do país”, “A internacionalização da economia portuguesa”, “O papel do Estado no desenvolvimento”, “Portugal no mundo”, “Mudar para desenvolver”, “Iniciativa e realização”, “A 4.ª Revolução Industrial: como não a perder!” e, no ano passado, “Os investigadores nas empresas. As empresas na academia”.

Neste ano, o mote das X Jornadas Empresariais do próximo dia 7 de novembro é “A transferência de tecnologia para as empresas”. É uma base de reflexão que revela um enorme carácter de atualidade e pertinência, focando aspetos que são fundamentais para as empresas e para o país, face aos desafios da revolução tecnológica e da digitalização dos negócios.

Sabemos que nos relatórios internacionais Portugal surge relativamente bem posicionado na produção de conhecimento, mas simultaneamente tem dificuldade na sua transformação em valor económico, o que impõe a necessidade de uma mais estreita ligação entre o sistema científico e tecnológico e as empresas.

Por isso, num mercado crescentemente global e concorrencial, o tema da investigação e inovação e da sua transferência para o tecido empresarial é absolutamente essencial para potenciar ganhos de produtividade e competitividade.

Esta transferência de tecnologia para as empresas é, também, fundamental para sustentar aumentos significativos do valor das exportações portuguesas e, nesse sentido, assegurar uma estratégia de crescimento económico sustentável.

Luís Miguel Ribeiro, presidente da Associação Empresarial de Portugal

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de