Opinião: Hugo Veiga

Voando sobre um NST de CMO’s

computer-3368242_1920

"O uso de siglas deixou de ser apenas um surto e é agora uma epidemia na grande maioria das corporações."

Fagundes emendou uma sequência de CTRL+C no DOC e CTRL+V no PPT e correu para a sala de reuniões onde o CEO, CFO, CCO, CMO, CTO, CHRO, CKO e mais uns indivíduos de nomes comuns como o Jefferson da contabilidade e Amarilda, do almoxarifado, aguardavam impacientes. Enquanto conectava o seu laptop, Fagundes perguntou se todos estavam conscientes do secretismo da INFO que ia partilhar e se haviam assinado o NDA. O bando de cabeças assentiu.

– É um vírus. É contagioso. O uso de siglas deixou de ser apenas um surto e é agora uma epidemia na grande maioria das corporações.

“OMG!!!” escutou-se do gringo que acompanhava a reunião por VCC. “PLMDDS!!!” gritou a CTO. O pânico tomou conta da sala.

– CALMA! – gritou o CEO. – Não vamos nos exaltar. Felizmente, a nossa corporação ainda não foi afectada. Fagundes, tem noção do DAU de siglas? Perdão, do Daily Active Usage de siglas. Se o número for elevado, precisamos de CTA urgente… Call To Action, digo. Temos que montar um MVP para combater essa atrocidade.

– Um quê?

– Um MVP, minimum viable product, que já tenha em conta um CPM baixo na hora de o aplicarmos. Custo Por Mil… desculpem de novo. E sorriu amarelo.

Fagundes escutou tudo em silêncio, olhou vago para o chão e disparou: “Senhoras e senhores, nós já estamos afectados.”

Se até então, os ânimos estavam apenas animados, a partir desse momento, todos perderam a compostura. O CCO defendeu que nunca usou termos com ROI. O CMO, explicava que tinha tirado boas notas a português e que nem quando falava com mulheres no mIRC, escrevia “queres tc”.

Ninguém o escutou. Não por duvidarem das suas palavras, mas porque a sala era agora um tumulto sonoro sem precedentes. “Cadê os TFO’s?!”, “Ai, MDS, tragam AGA que está a dar-me o chilique.”, “LVR, vocês são todos LVR’s! Sabem lá do que FLT.”

Fagundes queria sair da sala, mas não podia. Os seus superiores estavam guardando a saída.
“Precisamos de um SEM urgente. Liga para o TI.” Quanto mais que eles tentavam manter a calma, mais eles perdiam a CPP. O que era algo IAE, tanto nas Facilities como na Holding. A reunião estendeu-se por horas, destruindo todas as métricas de EPT, RWU e MNR. E ninguém teve a frieza de resolver a situação começando com um simples Q&A, em conjunto com CNM e BVC, que numa WOW de RVD focada, já traria os results necessários para toda aquela CDA. Certo, é que no FDD, já todos desejavam que fosse Sexta-Feira para fugir para o FDS com LUJ e UIV’s debaixo do braço. Fagundes estava exausto e, contaminado, referiu que nunca mais iria FTR os YHK’s da AFT da empresa. “ATP!”, exclamou e saiu, com os pés por cima dos OBN do CTO e a mão no rosto do CEO.

(Só para dizer que do meio deste artigo até aqui, as siglas não querem dizer absolutamente nada. Este texto é apenas o meu humilde apelo para pararem com a mania de criar siglas de tudo. “PQP, HV!!! VTF por fazeres perder o meu tempo.” Reclamam VCS, e com razão.)

DSCLP qualquer coisa, PPL.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal  Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

Mário Vaz. “Havendo frequências, em julho teríamos cidades 5G”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a cerimónia militar do Instituto Pupilos do Exército (IPE), inserido nas comemorações do 108.º aniversário da instituição, em Lisboa, 23 de maio de 2019.  ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: “Quem não for votar, depois não venha dizer que se arrepende”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Voando sobre um NST de CMO’s