Panteão Nacional

Jantar da Web Summit no Panteão Nacional foi, afinal, o terceiro deste ano

(redes sociais)
(redes sociais)

Contabilidade deixa de fora outro tipo de eventos que ocorreram noutras partes do Panteão Nacional.

Se não forem contabilizados outro tipo de eventos, o Panteão Nacional já deu lugar a pelo menos nove – dos quais três só este ano – jantares antes daquele que decorreu no passado sábado pela ‘elite’ da Web Summit (o terceiro deste ano) e que gerou revolta nas redes sociais e motivou troca de críticas entre os partidos políticos.

A notícia é confirmada pela Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) ao jornal Público. A entidade que gere o monumento histórico acrescentou que esta contabilidade deixa de fora outros eventos que decorreram ao longo do ano noutras zonas do Panteão, como o Coro Alto, a Sala Sul, o Terraço ou o Adro.

De acordo com os registos da DGCP, o primeiro jantar que ocorreu no Panteão foi em 2002, mas foi a partir de 2014 – altura em que foi assinado o despacho que regulamentava a realização de eventos naquele espaço – que começaram a planear-se mais acontecimentos do género no Corpo Central.

A diretora do Panteão, Isabel Melo, adiantou também à mesma fonte que foi rejeitado um pedido para a realização do réveillon no interior e imediações do monumento histórico.

António Costa, que classificou a iniciativa da Web Summit como “absolutamente indigna”, também não escapa à polémica. Em setembro de 2013, o atual primeiro-ministro, que na altura era presidente da Câmara Municipal de Lisboa, usou o espaço do Panteão Nacional para um evento para promover o fado. O evento foi promovido pelo Turismo de Lisboa, uma associação de fins privados, mas cuja presidência é assumida, por inerência, pelo presidente da Câmara de Lisboa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O antigo secretário de Estado da Energia e da Inovação, Henrique Gomes, fala perante a Comissão Parlamentar de Inquérito ao Pagamento de Rendas Excessivas aos Produtores de Eletricidade, na Assembleia da República em Lisboa, 23 de janeiro de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

Henrique Gomes disse que “Mexia é osso duro de roer” e teve de sair da REN

A área alimentar gerou vendas históricas de quatro mil milhões de euros. Fotografia: D.R.

Sonae atinge vendas recorde de 6,3 mil milhões com impulso do Natal

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Universidade Católica prevê menos crescimento em 2018 e 2019

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Jantar da Web Summit no Panteão Nacional foi, afinal, o terceiro deste ano