transportes

Aluguer de mais quatro comboios a Espanha custa 1,3 milhões por ano

CP aluga 20 comboios da série 592 da Renfe desde 2011, que circulam na Linha do Douro. 
(João Carvalho/ Global Imagens)
CP aluga 20 comboios da série 592 da Renfe desde 2011, que circulam na Linha do Douro. (João Carvalho/ Global Imagens)

CP vai pagar 315 000 euros por cada automotora a gasóleo extra alugada a Espanha até 2022. Despesa anual vai subir para cerca de 8,3 milhões de euros.

Portugal vai gastar mais cerca de 1,3 milhões de euros por ano com o aluguer de comboios a Espanha. A CP está autorizada a assumir as despesas com o aluguer de mais quatro automotoras a gasóleo da série 592 à congénere Renfe por um período de quatro anos, entre janeiro de 2019 e dezembro de 2022, segundo a portaria publicada esta terça-feira em Diário da República. O contrato vai custar, no total, 4,661 milhões de euros.

Mas o valor não será gasto da mesma maneira: no primeiro ano, em 2019, apenas serão pagos 876 447 euros; nos restantes três anos, será despendido 1 261 542 euros por ano, segundo o documento assinado em conjunto pelo secretário de Estado do Orçamento, João Leão, e o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’ Oliveira Martins.

A diferença de valores deve-se à entrada em circulação de uma das automotoras no início de 2019; as restantes três unidades começarão a circular ao longo de 2019, de acordo com o protocolo assinado em setembro entre a CP e a Renfe em Madrid.

Inicialmente, previa-se que a CP gastasse 1,4 milhões de euros por ano com o aluguer de mais quatro automotoras a gasóleo, da série 592, atualmente em circulação na Linha do Douro e na Linha do Oeste. Os quatro “novos” comboios da Renfe para Portugal deverão circular nas linhas do Algarve e do Oeste, onde atualmente são utilizados comboios comprados em 1965, os UDD 450.

Ainda assim, as quatro automotoras irão custar, em média, 315 000 euros por ano, abaixo dos 350 000 gastos anualmente com as outras 20 unidades a gasóleo.

Com este contrato, a despesa anual da CP com o aluguer de comboios regionais a Espanha vai aumentar de sete para cerca de 8,3 milhões de euros: desde 2011 que a empresa pública portuguesa de comboios aluga material à congénere espanhola.

Portugal apenas pode alugar comboios a Espanha, porque só estes países têm bitola (distância entre carris) ibérica. A cedência de material de Espanha irá ocorrer até que cheguem 22 novos comboios regionais, que deverá ocorrer a partir de 2023

O concurso público para a compra desse material foi aberto na primeira semana de 2019. A CP vai receber as primeiras propostas até ao final de domingo, 3 de fevereiro. Serão adquiridas 12 automotoras híbridas (que também podem circular em linhas não eletrificadas) e 10 automotoras elétricas.

Comboio elétrico

O aluguer de comboios a Espanha não deverá ficar por aqui: a CP também poderá alugar comboios elétricos de alta velocidade a partir de 2019. “No próximo ano haverá uma unidade elétrica de alta velocidade, que atinge os 250 quilómetros/hora. Em 2020, haverá mais 6 unidades elétricas, para reforçar oferta do Alfa Pendular e Intercidades”, detalhou Carlos Gomes Nogueira, presidente da CP, durante uma audição parlamentar em setembro de 2018.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

Saída de clientes da EDP já supera as entradas

Outros conteúdos GMG
Aluguer de mais quatro comboios a Espanha custa 1,3 milhões por ano