incêndios

Área ardida nas zonas protegidas foi um décimo da média dos últimos 20 anos

Fotografia: Rui Oliveira/Global Imagens
Fotografia: Rui Oliveira/Global Imagens

Entre 2017 e 2019, as equipas das áreas protegidas foram reforçadas com 75 novos elementos do Corpo Nacional de Agentes Florestais.

De acordo com um comunicado enviado pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática às redações, em 2019 registaram-se 384 incêndios florestais nas áreas protegidas e a área ardida foi de cerca de mil hectares.

“Estes valores são cerca de um décimo da média. A área ardida em 2019 foi, assim, cerca de um décimo da média registada nas últimas duas décadas (1800 hectares por ano). Estes números confirmam que a Estratégia do Ministério do Ambiente e da Ação Climática para a prevenção estrutural contra incêndios deu resultados”, referiu o mesmo comunicado.

Entre 2017 e 2019, as equipas das áreas protegidas foram reforçadas com 75 novos elementos do Corpo Nacional de Agentes Florestais (CNF), e com 75 novos vigilantes da natureza. Foi em 2017 que se lançou o projeto-piloto de combate estrutural aos incêndios no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Em 2018, o projeto-piloto foi alargado a mais cinco áreas protegidas e, em 2019 a oito novas áreas. Neste momento há projetos em curso em 14 áreas Protegidas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lear Corporation

Há mais de 800 mil portugueses a trabalhar por turnos

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública. (António Pedro Santos / Lusa)

Governo vai reservar verba para financiar pré-reformas no Estado

Rui

“Se Rui Rio ganhar as eleições do PSD este Governo dura quatro anos”

Outros conteúdos GMG
Área ardida nas zonas protegidas foi um décimo da média dos últimos 20 anos