banca

Banco Montepio vende 239 milhões em crédito malparado

Carlos Tavares, chairman do Banco Montepio (Fotografia: Artur Machado / Global Imagens)
Carlos Tavares, chairman do Banco Montepio (Fotografia: Artur Machado / Global Imagens)

A Caixa Económica Montepio Geral vendeu uma carteira de crédito malparado de 239 milhões de euros a uma empresa da Irlanda, sem divulgar o valor do negócio, disse em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“A Caixa Económica Montepio Geral, caixa económica bancária, S.A. (CEMG) informa que ontem [quinta-feira], dia 27 de dezembro de 2018, e após um processo de venda competitivo, foi celebrada uma escritura pública de venda de uma carteira de créditos não produtivos (‘non-performing loans’), sob a forma de venda direta, à empresa Mimilus Finance DAC, uma sociedade validamente constituída e regida pelas leis da Irlanda, com sede em Dublin”, refere a informação ao mercado.

A carteira vendida consta de 10 mil contratos no valor bruto de 239 milhões de euros.

O banco Montepio diz que, com esta operação, dá seguimento à estratégia de “redução de ativos não produtivos”.

Os bancos vendem carteira de crédito malparado para melhorar o seu balanço. Contudo, pode ter impacto negativo nos resultados caso haja necessidade de suprir a diferença a que os créditos estão registados no balanço e o valor a que são vendidos.

Já esta quinta-feira foi a vez de o Novo Banco anunciar a venda de uma carteira de crédito malparado a fundos de investimento, mas nesse caso um pacote bem mais significativo, de 102 mil contratos no valor de 2.150 milhões de euros.

A Caixa Económica Montepio Geral teve lucros de 15,8 milhões de euros no primeiro semestre, mais 21,1% face ao mesmo período de 2017, para o que contribuiu a queda das provisões para crédito.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Taxa de juro do crédito à habitação cai para 1%

Lisboa, 18/02/2020 - Plenário da Assembleia da República - Debate quinzenal com o primeiro ministro.
Primeiro Ministro António Costa com os restantes ministros que compõem o governo.
Jerónimo de Sousa - PCP
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Jerónimo avisa Costa que “sem aumentos salariais” os “problemas vão aumentar”

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (C), acompanhado pelo ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno e pelo presidente da CP, Nuno Freitas (E), na assinatura do contrato de serviço público entre o Estado e a CP, na Estação do Rossio, em Lisboa, 28 de novembro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

CP escapa a multas por atraso no contrato de serviço público

Banco Montepio vende 239 milhões em crédito malparado