Imobiliário

BCP e BPI vendem prédios na Baixa de Lisboa

Edifício da Rua do Ouro do BCP foi vendido ao grupo hoteleiro Sana. 
(Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens)
Edifício da Rua do Ouro do BCP foi vendido ao grupo hoteleiro Sana. (Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens)

Os dois bancos realizaram, na mesma semana, duas grandes operações imobiliárias num dos locais mais valiosos de Portugal.

BCP e BPI venderam, na mesma semana, dois prédios na Baixa de Lisboa. Os dois bancos bancos aproveitaram o atual momento do mercado imobiliário nacional para realizar mais-valias e procurar novas oportunidades de investimento. Nas duas operações, há portugueses entre os compradores.

O BPI, através do seu Fundo de Pensões, vendeu o edifício mais antigo que tinha na Baixa por 66 milhões de euros. Este quarteirão é composto por cinco edifícios do século XVIII, de arquitetura pombalina, que o banco agora detido pelo CaixaBank foi comprando ao longo dos anos e ligando entre si até perfazer 11.100 metros quadrados de área, adianta este sábado o semanário Expresso.

O imóvel foi comprado por um fundo internacional que está a ser gerido pela Norfin, gestora portuguesa de fundos de investimento imobiliário detida por João Brion Sanches e Alexandre Relvas. O edifício conta com frente para a rua Augusta, rua do Ouro, rua do Comércio e rua de São Julião. Houve mais de 20 empresas ou investidores que apresentaram propostas por este espaço, que agora será reabilitado e que poderá servir para habitação, hotel, comércio, ou mesmo tudo junto.

O BCP vendeu ao grupo hoteleiro Sana o edifício na rua do Ouro, que ocupava praticamente um quarteirão na Baixa de Lisboa. O edifício de cerca de 8.850 metros quadrados terá sido vendido por um preço entre 40 e 50 milhões de euros, segundo o jornal digital Eco. Este imóvel será transformado no quarto hotel do grupo Sana na capital.

Outros bancos nacionais também venderam prédios na Baixa de Lisboa nos últimos meses. A Caixa Geral de Depósitos alienou um imóvel na rua do Ouro num negócio avaliado em 60 milhões de euros; o Banco vendeu a sede histórica, perto do Terreiro do Paço, que será transformada em 28 apartamentos.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
IMG_0868-min

Agricultura bate recordes no Alentejo. “Mais houvesse, mais se vendia”

Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Isaltino Morais “Nos próximos anos, Oeiras vai precisar de 12 500 engenheiros”

Aeroporto do Montijo 2

Portela+? Aquilo que separa os partidos, o Montijo não consegue unir

Outros conteúdos GMG
BCP e BPI vendem prédios na Baixa de Lisboa