Câmara quer criar duas novas áreas de reabilitação urbana no centro de Coimbra

A Câmara de Coimbra quer criar duas novas áreas de reabilitação urbana no centro da cidade, de acordo com uma proposta que vai ser debatida e votada na próxima reunião do executivo municipal, agendada para segunda-feira.

A Câmara de Coimbra quer criar duas novas áreas de reabilitação urbana no centro da cidade, de acordo com uma proposta que vai ser debatida e votada na próxima reunião do executivo municipal, agendada para segunda-feira.


A delimitação de duas novas áreas de reabilitação urbana (ARU) no centro da cidade — Coimbra Universidade/Sereia e Coimbra Santa Clara resulta da “necessidade de ampliar a área de intervenção estabelecida pelas atuais” ARU — Coimbra Alta, Coimbra Baixa e Rio –, “dada a introdução de novas realidades de planeamento, gestão e operacionalização de projetos e de novas oportunidades de financiamento”, sustenta a câmara.


A medida, de acordo com a proposta que vai ser apreciada pelo executivo camarário, liderado pelo socialista Manuel Machado, visa também “promover uma efetiva reabilitação urbana, de iniciativa privada e pública, que dê a melhor resposta ao desenvolvimento do turismo, num território que precisa de salvaguardar o seu património, valorizar a paisagem e o ambiente urbano”.


As duas novas ARU permitirão, em conjunto com as já existentes, “alargar a área de intervenção no centro urbano de Coimbra” e potenciar “o acesso a novos programas de financiamento” no âmbito do quadro comunitário de apoio Portugal 2020.


Além disso, esta medida também pretende responder à “necessidade de complementar, consolidar e promover a estratégia operacional de reabilitação urbana em curso”, em Coimbra, acrescenta a mesma proposta.


As ARU são, de acordo com a legislação, “áreas territorialmente delimitadas que, em virtude da insuficiência, degradação ou obsolescência dos edifícios, das infraestruturas urbanas, dos equipamentos ou dos espaços urbanos e verdes de utilização coletiva”, justificam “uma intervenção integrada”.


A delimitação de ARU determina, assim, “a necessidade, assumida pela autarquia”, de congregar nessas áreas “um conjunto de intervenções e investimentos integrados, consequência da estratégia definida, de modo a assegurar a salvaguarda do património edificado e o desenvolvimento sustentável do respetivo território”, conclui a proposta da Câmara.


Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Carlos Santos/Global Imagens)

Porto de Setúbal: Acordo garante fim da greve às horas extraordinárias

Fotografia: REUTERS/Mike Hutchings

Construção de casas novas caiu 80% em dez anos

Hotel Pestana Palace, em Lisboa.

Turismo com 51 milhões de dormidas até outubro

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Câmara quer criar duas novas áreas de reabilitação urbana no centro de Coimbra