OE2019

Certificados de poupança vão sofrer resgates

Certificados

Governo admite que juros mais baixos dos atuais certificados poderá levar a resgates líquidos no próximo ano.

Durante os últimos anos os certificados de poupança, principalmente os Certificados do Tesouro, foram uma fonte importante de financiamento do Estado. Mas para o próximo ano, o governo prevê um contributo negativo destes instrumentos. Na proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano, o ministério das Finanças prevê resgates líquidos de mil milhões de euros durante 2019 (231 milhões em Certificados de Aforro e 769 milhões em Certificados do Tesouro).

O governo explica a previsão de saída de investimento destes produtos com o fim do prazo dos primeiros Certificados do Tesouro Poupança Mais (CTPM). “A partir de outubro de 2018, os primeiros CTPM começarão atingir a sua maturidade original, estimando-se amortizações de 610 milhões a vencer em 2018 e 2,9 mil milhões de euros em 2019, a que acrescem também amortizações da série C de CA (cerca de 80 milhões em cada ano).

Na proposta do OE é detalhado que “os CTPM que vencem em 2019 beneficiavam de remunerações muito atrativas”. O governo admite que “uma parte significativa deste montante poderá não ser reinvestida” nos certificados que estão atualmente disponíveis para subscrição e que apresentam juros mais baixos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (D), e o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares (E), participam na conferência de imprensa no final de uma reunião, em Loures. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Costa: “Há países que foram colocados em listas vermelhas por retaliação”

João Rendeiro, ex-gestor do BPP

João Rendeiro, ex-presidente do BPP, condenado a pena de prisão

O deputado do Partido Social Democrata (PSD) Ricardo Batista Leite. (RODRIGO ANTUNES/LUSA)

PSD quer transferir reuniões do Infarmed para o parlamento

Certificados de poupança vão sofrer resgates