transportes

Contas da CP sem aprovação do Estado desde 2015

Carlos Gomes Nogueira, presidente do conselho de administração da CP. (MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)
Carlos Gomes Nogueira, presidente do conselho de administração da CP. (MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

Empresa pública de comboios acumula prejuízos de 640 milhões de euros nos últimos quatro anos.

O Governo de António Costa nunca aprovou as contas da CP. Desde 2015 que os resultados da empresa pública de comboios recebem o ‘carimbo’ do Estado, de acordo com a entidade legal que certifica o relatório e contas. Nestes quatro anos, a transportadora acumulou prejuízos de 639,6 milhões de euros.

“Chamamos a atenção para o facto de os relatórios e contas do grupo referentes a 2015, 2016 e 2017 não se encontrarem formalmente aprovados pela tutela”, escreve a sociedade de revisores oficiais de contas Oliveira, Reis & Associados no documento, adianta esta sexta-feira o Jornal Económico.

A CP responde aos ministérios das Finanças e das Infraestruturas e Habitação mas nenhum dos gabinetes explicou qual a razão para esta “não-aprovação das contas”.

Esta sexta-feira, sabe-se também que a CP gastou 491 289 euros em 2018 com o aluguer de autocarros para compensar a supressão de comboios. Mais de dois terços deste montante (329 mil euros), foram gastos nas ligações da linha do Algarve, adianta o jornal digital Eco. Em 2018, dos 12 031 comboios suprimidos, mais de 3500 deveram-se a falhas de material circulante.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Outros conteúdos GMG
Contas da CP sem aprovação do Estado desde 2015