crédito

Crédito ao consumo atinge máximo histórico de 515 milhões em julho

notas

O montante concedido em crédito à habitação em 2019 é o mais alto da década. No crédito ao consumo é o máximo de sempre.

Os bancos concederam um montante recorde de 515 milhões de euros em novo crédito ao consumo, em julho deste ano, enquanto o valor dos empréstimos para compra de habitação aumentou para 967 milhões de euros, o máximo desde junho de 2018.

Face ao mês anterior, o novo crédito ao consumo registou um aumento de 23% e o crédito à habitação cresceu 14%.

“Os volumes de novas operações para habitação, consumo e outros fins totalizaram 967, 515 e 183 milhões de euros, respetivamente. O montante das novas operações de empréstimos ao consumo representa um máximo histórico”, refere o Banco de Portugal numa nota estatística divulgada esta terça-feira.

Quanto às taxas de juro dos novos contratos, nas operações de crédito a particulares para habitação, a taxa de juro média diminuiu sete pontos base para 1,26%, “tratando-se de um novo mínimo histórico”.

“No crédito ao consumo e para outros fins, as taxas de juro médias foram, respetivamente, de 7,00% e 4,21%”, adianta a nota.

Desde o início do ano, os bancos concederam um total de 5.898 milhões de euros de credito à habitação, mais 205 milhões de euros do que em igual período do ano passado. É o valor mais alto da década.

No crédito ao consumo, foram concedidos empréstimos num total de 2.824 milhões de euros, desde janeiro, o máximo de sempre.

Em julho de 2018 passou a estar em vigor uma recomendação do Banco de Portugal com regras para restringir a concessão de novo crédito.

Atualizada às 12H27 com mais informação

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

Crédito ao consumo atinge máximo histórico de 515 milhões em julho