Cristas exige de ministro da Agricultura medidas de apoio devido à seca

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, exigiu hoje que o ministro da Agricultura esclareça que medidas tem preparadas para apoiar os agricultores pela situação de seca, sublinhando que os centristas pedem a sua presença no parlamento.

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, exigiu hoje que o ministro da Agricultura esclareça que medidas tem preparadas para apoiar os agricultores pela situação de seca, sublinhando que os centristas pedem a sua presença no parlamento.


“É muito importante que o Ministério ponha cá fora um pacote de medidas que já vêm atrasadas, que estavam pré-preparadas, porque já há muito tempo que existe um grupo de trabalho em permanência para monitorizar as situações de seca”, afirmou Assunção Cristas.


Numa visita a uma feira do setor alimentar, em Lisboa, a líder centrista disse não entender “a ausência do ministro da Agricultura”, argumentando que as queixas se sucedem por parte do setor e têm impacto, por exemplo, nas sementeiras que poderão não se fazer por escassez de água.


“Há medidas estudadas do passado”, insistiu a ex-ministra da Agricultura, apontando para a isenção da taxa de recursos hídricos, isenções de contribuições à segurança social, apoios ao investimento, entre outras.


A presidente do CDS-PP, que foi ministra da Agricultura no anterior Governo, afirmou que “em 2011, na sequência da seca grande desse inverno e primavera, foram aplicados só do Orçamento do Estado 45 milhões de euros de medidas de apoios aos agricultores”.


Foram também “usadas todas as verbas e apoios europeus, nomeadamente antecipações de pagamentos, para ajudar à tesouraria das empresas que estavam muito aflitas pela escassez de água”, sublinhou.


A líder do CDS lamentou que “há um mês que o CDS no parlamento pediu a vinda urgente do ministro para explicar o que é que está a fazer em matéria de seca e neste momento o ministro ainda não foi ouvido no parlamento”.


Assunção Cristas considerou que o setor agroalimentar continua a melhorar a sua presença “no mercado interno, mas também a apostar no mercado internacional”.


“As empresas deste setor estão de parabéns, a fazer um trabalho extraordinário, é pena que o Governo não as ajude a abrir mais mercados”, declarou.


Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno 
(EPA-EFE/PATRICIA DE MELO MOREIRA)

Lentidão nos reembolsos fazem disparar IRS em plena crise

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (C), acompanhado pelo ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno e pelo presidente da CP, Nuno Freitas (E), na assinatura do contrato de serviço público entre o Estado e a CP, na Estação do Rossio, em Lisboa, 28 de novembro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

CP sem contrato com Estado só tem dinheiro até junho

avião da TAP

PS desafia TAP a corrigir plano de rotas áreas que “lesa interesse nacional”

Cristas exige de ministro da Agricultura medidas de apoio devido à seca