Telecomunicações

Dona da Meo acelera fim da rede de cobre e mudança para fibra

Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal
Fábio Poço/Global Imagens)
Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal Fábio Poço/Global Imagens)

Novos clientes que queiram telefone em casa passam a ter suporte apenas através da rede móvel (sobre GSM).

Até agora, a Meo era a única operadora de telecomunicações que dispunha de uma oferta de voz fixa sobre cobre. Só que esta solução tem os dias contados: desde a semana passada que empresa deixou de oferecer o serviço voz fixa sobre a rede de cobre para novos clientes. A Altice, a dona da antiga Portugal Telecom, justifica esta decisão com razões tecnológicas.

“Na senda do investimento da Altice Portugal em infraestruturação do país com rede de fibra ótica, a empresa tem vindo a empreender uma estratégia ativa de migração de cobre para fibra com o objetivo de garantir aos seus clientes o acesso a infraestruturas de última geração”, adianta esta segunda-feira fonte oficial da Altice ao Jornal de Negócios.

A operadora liderada por Alexandre Fonseca garante ainda que esta alteração não vai representar “um acréscimo no valor”. Os atuais clientes da rede fixa vão continuar a ter serviço sob rede de cobre mas serão transferidos, gradualmente, para a rede de fibra.

Leia mais: Dona do Meo estende programa de saídas aos trabalhadores transferidos

Esta alteração decorre numa altura em que a Altice vai investir num aumento da velocidade dos seus serviços, conforme o Dinheiro Vivo escreveu na semana passada.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Eleições europeias: 11,56% dos eleitores votaram até ao meio-dia

Um espécime de um boletim de voto das Eleições Europeias é exibido durante a audição do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, na Assembleia da República, Lisboa, 09 de maio de 2019.  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Líderes partidários já votaram com apelos à participação

A população da freguesia que agrega as aldeias de Morgade, Carvalhais e Rebordelo, mobilizou-se contra a mina a céu aberto anunciada para esta localidade, apelando ao boicote nas Eleições Europeias, em Montalegre, 26 de maio de 2019. FOTO PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA

Boicote às eleições na freguesia de Morgade, em Montalegre

Outros conteúdos GMG
Dona da Meo acelera fim da rede de cobre e mudança para fibra