pagamentos

É cliente da Revolut? Precisa prevenir-se para o Brexit

revolut-card (1)_edited

A fintech britânica está a pedir aos clientes para atualizarem a sua identificação, com fornecimento do cartão do cidadão ou do passaporte.

Se é cliente da fintech britânica Revolut tem de se preparar para a eventual saída do Reino Unido da União Europeia (UE) sem acordo.

A rival digital dos bancos tradicionais atualizou as informações acerca do Brexit, com instruções para os clientes de países da União Europeia. A empresa está a preparar-se para ter de migrar os seus clientes da UE para a subsidiária na Lituânia.

“Para os clientes de fora do Reino Unido, na hipótese de não haver acordo (para o Brexit), vamos iniciar o processo de os transferir para a nossa subsidiária europeia autorizada”, esclarece a empresa no seu blog.

A fintech está a pedir aos clientes para atualizarem a sua identificação, com fornecimento do cartão do cidadão ou do passaporte.

O pedido está a deixar alguns clientes com dúvidas sobre o que está a acontecer e o que vai acontecer com o serviço.

A Revolut tem uma licença para operar no Reino Unido que é válida para todos os outros países da UE no âmbito do regime de livre prestação de serviços.

Se não houver acordo ou for revogado o regime de livre prestação de serviços, a Revolut pode perder este direito de passaporte e precisa de migrar os seus clientes da UE para outra entidade na região.

A empresa tem mais de 120 mil clientes em Portugal e vai abrir um centro de apoio ao cliente em Matosinhos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

Motoristas de matérias perigosas em greve concentrados na Companhia Logística de Combustiveis - CLC.
Fotografia: Paulo Spranger / Global Imagens

Combustíveis. Sindicato conseguiu mais 200 sócios com greve

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
É cliente da Revolut? Precisa prevenir-se para o Brexit