Euro: o princípio do fim

A Europa está de novo no centro das atenções, com sua moeda em
queda acentuada. E qualquer coisa pode acontecer a qualquer momento,
já que é essa a dinâmica própria dos incumprimentos.

O que fazer com o euro? O que fazer com o ouro? Não
deixe de ler este post.

Como se descreve correctamente a
transmissão de um rumor ou de uma doença? Saber isso podia
ajudar-nos a entender como se pega o pânico financeiro. E neste
momento há todas as condições para um pânico financeiro ser
lançado a qualquer momento.

Qualquer pessoa que estude economia depara-se com inúmeras
descrições de situações de equilíbrio. Mas há muito poucas
explicações sobre a dinâmica que leva de um ponto de equilíbrio a
outro. Porquê? Porque não há um método matematicamente
simples de descrever esse processo.

Quando se fala de contágio ou pânico financeiro, usamos apenas
uma palavra para descrever o processo. E porque digo que há
sinais disso? Novamente, devemos olhar para o que está a
acontecer nos preços. Uma queda tão acentuada do euro em tão pouco tempo tem de
chamar-nos imediatamente a atenção e
fazer disparar todos os alarmes. As quedas consecutivas de quinta e
sexta-feira soam claramente a mais um alarme de preocupação.

Em tudo, este momento é semelhante ao espírito que se
vivia no Outono de 2010. E o mais flagrante dos sinais é que se
a Grécia entrar em incumprimento vai de certeza arrastar consigo
outros países como Portugal, Irlanda, Itália e Espanha – todos
eles, aliás. Um exemplo típico da dinâmica do momento é que os
responsáveis dos países em crise asseguram e reforçam que está
tudo bem. Aconteceu o mesmo com os líderes do Bear Stearns e do Lehman
Brothers antes da falência. Muitos se recordam da
célebre expressão: “Apostar no dólar é perder dinheiro”.
Curioso é que o ministro das Finanças grego foi contundente na
sexta-feira ao garantir que a Grécia não entrará em incumprimento.
Ah! Obrigada por essas palavras mágicas…

No meio disto, vejamos como se comportou o ouro. Contra todas as
previsões, o ouro bateu novo recorde esta semana (ajudado pela
notícia de que a Suíça vai intervir para desvalorizar a sua
moeda). Parece que já não há moedas com valor real. E
assim o ouro, acima dos 1900 dólares, pode seguir para qualquer
lado. Não interessa sequer prever um número.

A
verdade é que nas corridas ao ouro as pessoas ficam realmente
desesperadas. E parece que temos tudo preparado para a
tempestade perfeita.

Gestor de activos

Escreve à segunda-feira

mboggiano@complexityinvestments.com

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

BCP, Berardo e calúnias. As explicações de Constâncio no inquérito à CGD

Outros conteúdos GMG
Euro: o princípio do fim