fintech

Fintech: Inquérito da CMVM conclui que metade do setor é a favor de regulação

Fotografia: José Pedro Monteiro
Fotografia: José Pedro Monteiro

O primeiro inquérito sobre fintech efetuado pela CMVM conclui que metade dos inquiridos está a favor da criação de regulação para o setor.

O primeiro inquérito relativo a fintech efetuado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) conclui que metade dos inquiridos está a favor da criação de regulação para o setor.

Segundo o inquérito, 52% dos participantes defende a criação de regulação específica para Initial Coin Offerings (oferta inicial de moeda) e 49% quer regulação para a consultoria para investimento ou gestão de carteiras automatizada. Uma maioria, correspondente a 68% dos inquiridos, defende uma harmonização da legislação do financiamento colaborativo na União Europeia.

Os primeiros resultados do inquérito, feito junto de intermediários financeiros, empresas fintech e associações de setores relacionados com o mercado de capitais, foram divulgados esta segunda-feira.

“Curiosamente, uma parte substancial, a maioria dos inquiridos, entende que deve haver regulação específica para certas áreas fintech“, disse Gabriela Figueiredo Dias, presidente da CMVM, num evento sobre o arranque da Semana Mundial do Investidor, que contou com a presença de representantes dos reguladores financeiros e de associações do setor.

A Semana Mundial do Investidor decorre entre dia 1 e 11 de outubro e vai contar com várias iniciativas. A CMVM associa-se pelo segundo ano consecutivo à iniciativa lançada pela IOSCO em 2017.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

Motoristas de matérias perigosas em greve concentrados na Companhia Logística de Combustiveis - CLC.
Fotografia: Paulo Spranger / Global Imagens

Combustíveis. Sindicato conseguiu mais 200 sócios com greve

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Fintech: Inquérito da CMVM conclui que metade do setor é a favor de regulação