Justiça

FPF abre inquérito a alegada corrupção do Benfica

23 - SL Benfica _ foto - slbenfica.pt

Confirmação surgiu esta quinta-feira, depois do Ministério Público também ter confirmado a abertura de um inquérito

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol vai abrir um inquérito para investigar os alegados atos de corrupção do Benfica, que envolvem árbitros e comunicações suspeitas por e-mail.

A abertura do inquérito foi confirmada pelo Conselho de Disciplina, em publicação esta quinta-feira no iste da FPF. “Instaurado processo de inquérito, por decisão do presidente do Conselho de Disciplina, de 8 de Junho de 2017, tendo por base declarações e notícias relacionadas com denúncias de eventuais actos de corrupção”, lê-se no documento.

Assim, o órgão de justiça desportiva vai avançar com a investigação do caso, um dia depois do Ministério Público também ter confirmado a instauração de um inquérito no DIAP na sequência de uma denúncia anónima.

A denúncia foi feita na terça-feira, no Porto Canal, pelo director de comunicação do Porto, Francisco J. Marques, revelou uma troca de e-mails entre o antigo árbitro Adão Mendes e o atual diretor de conteúdos da Benfica TV, Pedro Guerra.

O Benfica reagiu quarta feita, a “repudiar de forma veemente” o que definiu como “absurdas insinuações” do Porto. Esta quinta-feira o diretor de comunicação do Benfica, Luís Bernardo, disse à TSF que se congratula com a abertura de todos os inquéritos que possam ocorrer por parte do Ministério Público ou da Federação Portuguesa de Futebol, de modo a esclarecer todas as questões relativas às acusações do clube rival.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Estações do Metro do Porto não têm cancelas, o que dificulta o controlo da validação dos passes. ( Igor Martins / Global Imagens )

Metro do Porto e Carris reforçam fiscalização em ano de novos passes

Transito-entre-Alcacer-e--85d4639cd3287b64acb4206f15452cc3b8795932

Veículos a diesel vão cair de 63% em 2016 para 8% em 2030

Ataques de drones afetaram unidade de produção de petróleo em Abqaiq, no leste da Arábia Saudita. (REUTERS/Stringer)

Preços do petróleo disparam 20% após ataque na Arábia Saudita

Outros conteúdos GMG
FPF abre inquérito a alegada corrupção do Benfica