Tecnologia

Os melhores produtos da Xiaomi que estamos a perder em Portugal

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O gigante chinês Xiaomi é muito mais do que uma marca de smartphones. Há trotinetes elétricas, aspiradores e, agora, motos e carros.

Existem poucos produtos que envolvam alguma tecnologia que a Xiaomi não produza. A esmagadora maioria ainda não chegou a Portugal, vários não chegaram à Europa e outros há que não saíram ainda na China. Mas na era global dos grandes mercados online, é possível comprar alguns destes produtos em lojas como Alibaba ou Gearbest.

Em que categorias operam? Além dos óbvios smartphones, há tablets, portáteis, fontes de energia, sistemas de áudio, relógios e pulseiras digitais, televisores, câmaras fotográficas, de vídeo; aparelhos inteligentes para a casa (IoT), transporte pessoal sob a forma de vários modelos elétricos de duas rodas, produtos lifestyle como calçado e malas de viagem e acessórios como cartões SD e afins.

É um mundo de possibilidades, aquele que a marca chama de Comunidade Global fornece já 151 milhões de aparelhos inteligentes (IoT) em 70 países diferentes.

Leia também | Não quer gastar muito num smartphone? Estas opções ficam abaixo dos 350 euros

A empresa é recente e tem em Lei Jun, o atual CEO, o seu mentor. Este empreendedor chinês atua com o objetivo de fornecer tecnologia com qualidade que seja barata. Para isso tem uma política de dezenas de parceiros chineses, que acabam por produzir os produtos sob a marca Xiaomi.

Segue então, na fotogaleria acima, uma listagem de vários produtos diferentes da Xiaomi que ainda não chegaram a Portugal.

Leia também | Xiaomi vai lançar o seu primeiro carro. Um SUV de 11.900 euros

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Os melhores produtos da Xiaomi que estamos a perder em Portugal