Turismo

Independência da Catalunha custará 1,8 mil milhões ao turismo

Foto: REUTERS/Eric Gaillard
Foto: REUTERS/Eric Gaillard

Referendo já causou quebra de 15% nos negócios turísticos e menos 20% de reservas na hotelaria para o último trimestre deste ano.

O referendo pela independência catalã já causou uma queda de 15% nos negócios do turismo, segundo o vice-presidente executivo da Exceltur, José Luis Zoreda, citado pelo La Vanguardia. Até ao final do ano, há cortes nos investimentos do setor e uma quebra de 20% nas reservas do último trimestre.

Segundo contas do responsável da associação de empresas turísticas, que agrega mais de duas dezenas de empresas turísticas de setores tão diversos como o transporte aéreo, ferroviário, marítimo e terrestre ou os hotéis e as centrais de reservas GDS, entre outros, se a atual tendência se mantiver, a região da Catalunha poderá perder 1.197 milhões de euros de volume de negócios num cenário moderado.

Caso os distúrbios e a volatilidade naquela que é uma das principais regiões turísticas espanholas continuarem, a associação prevê que o impacto negativo poderá ascender a 1.796 milhões de euros, correspondendo a -30% de atividade turística. A nível nacional, também o crescimento do Turismo do país, estimado em 3,1% este ano, deverá ser afetado ainda que outras regiões continuem a crescer, como é o caso de Madrid que “continua a crescer de forma notável, captando algum fluxo turístico de Barcelona”.

Calcular o impacto real deste tipo de instabilidade não é fácil, sublinhou Zoreda, porque há sempre empregos e negócios indiretos que podem sofrer quando é abalado um setor que emprega 405 mil pessoas na região. Além disso, há que contar com a desaceleração do turismo britânico e a recuperação de destinos rivais no Mediterrâneo, como a Turquia e o Egito, que estão a crescer 45% neste verão, bem como das principais cidades europeias cujo turismo foi afetado pelo terrorismo nos tempos recentes.

Terão sido aqueles, aliás, alguns dos motivos para o menor crescimento do turismo espanhol já este ano. O país vizinho recebeu menos turistas franceses italianos, mais suscetíveis de viajar para o Norte de África, ainda que tenha recebido mais turistas russos e de países de Leste, bem como nórdicos. O turismo interno desacelerou, também, em destinos espanhóis e acelerou para o exterior.

Ainda assim, Espanha teve um verão “excelente”, com um aumento de 4,2% do PIB turístico e de 4,6% na criação de emprego em setembro, o que representa mais 76091 postos de trabalho no setor.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Inspeção Geral das Finanças tem inquérito a decorrer.

IGF detetou ilegalidades de 1900 milhões de euros em 2016

Patrick Drahi lidera grupo Altice. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Acionistas da dona do Meo apresentam queixa por “informação falsa ou enganosa”

Fotografia: JOSÉ COELHO/LUSA

OE2018: Aprovado aumento extraordinário de 6 ou 10 euros nas pensões

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Independência da Catalunha custará 1,8 mil milhões ao turismo