Jerónimo diz que PSD está em negação e desafia partido a ser mais construtivo (C/ ÁUDIO E FOTO)

O líder do PCP desafiou hoje o PSD a ter uma posição mais "construtiva" relativamente às políticas a implementar no país, considerando que o posicionamento dos sociais-democratas tem sido de "negação permanente" e de críticas sem propostas alternativas.

O líder do PCP desafiou hoje o PSD a ter uma posição mais “construtiva” relativamente às políticas a implementar no país, considerando que o posicionamento dos sociais-democratas tem sido de “negação permanente” e de críticas sem propostas alternativas.


“Não se pode exigir ao PSD que deixe de criticar, consideramos que a ação governativa não é intocável, nós próprios temos assumido posições divergentes, mas temos sempre esta visão positiva, construtiva, que se reflete, designadamente, a partir de hoje”, afirmou Jerónimo de Sousa, referindo-se à atualização extraordinária de pensões.


O secretário-geral do PCP falava aos jornalistas durante uma visita à Feira Medieval de Silves, único concelho no Algarve em que a autarquia é liderada pela CDU, embora tenha frisado que não se tratou de uma ação relacionada com a campanha eleitoral, mas sim uma visita “descontraída”.


Jerónimo de Sousa classificou o posicionamento do PSD como sendo de “negação permanente” e de “crítica sem proposta alternativa”, pois vai falando de reformas “nunca explicando que reformas são”, como é o caso do “corte de 600 milhões de euros na proteção social”.


Considerando que faria bem ao PSD ter uma “posição construtiva”, o líder do PCP acusou ainda os sociais-democratas de entrarem em contradição ao votarem contra a proposta para baixar o Imposto Municipal dobre Imóveis (IMI) e agora estarem preocupados com “aqueles impostos que são para quem tem património mais elevado ou muito elevado”.


Questionado pelos jornalistas sobre o veto presidencial ao diploma que introduzia alterações à municipalização da Carris, Jerónimo de Sousa disse considerar que a solução encontrada é boa, “desde que se mantenha o princípio da não privatização” da empresa de transportes.


“Acho que é possível, tendo em conta a mensagem do Presidente, que não declarou a inconstitucionalidade. Pensamos que é possível de uma forma desdramatizada encontrar a solução adequada”, concluiu.


A Feira Medieval de Silves arrancou na sexta feira na zona histórica da antiga capital do Algarve e prolonga-se até ao dia 20 de agosto.


Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página Inicial

Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, com responsáveis da VW na apresentação do T-Roc. Fotografia: DR

Caldeira Cabral confiante em acordo com trabalhadores da Autoeuropa

Fátima Barros, presidente da Anacom
Fotografia: Álvaro Isidoro / Global Imagens

Operadores dificultam rescisões de contratos e Anacom divulga alternativas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Jerónimo diz que PSD está em negação e desafia partido a ser mais construtivo (C/ ÁUDIO E FOTO)