Dívida

Juros da dívida portuguesa caem para mínimos de sempre a cinco e 10 anos

Fotografia: REUTERS/Nacho Doce
Fotografia: REUTERS/Nacho Doce

Os juros da dívida portuguesa mantinham-se hoje a dois anos e a cair a cinco e 10 anos para mínimos de sempre.

Cerca das 08:45 em Lisboa, os juros a 10 anos estavam a cair para 0,652%, um mínimo de sempre, contra 0,674% na quarta-feira,

No prazo de cinco anos, os juros, que entraram pela primeira vez em terreno negativo em 28 de maio, estavam a recuar para -0,094%, um mínimo de sempre, contra -0,105% na quarta-feira.

Os juros a dois anos mantinham-se em -0,400%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,413%, em 27 de maio.

Os juros de Espanha mantinham-se a dois anos e desciam a cinco e 10 anos, enquanto os de Itália desciam em todos os prazos.

Os juros da Grécia avançavam a cinco anos e recuavam a dez anos, únicos prazos disponíveis, enquanto os da Irlanda desciam a cinco e dez anos.

Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 08:45:

2 anos…5 anos…10 anos

Portugal

06/06……-0,400…-0,105……0,652

05/06……-0,400…-0,094……0,674

Grécia

06/06…….n.disp…1,691……2,883

05/06…….n.disp…1,760……2,942

Irlanda

06/06…….n.disp..-0,313……0,336

05/06…….n.disp..-0,306……0,351

Itália

06/06…….0,493….1,707……2,456

05/06…….0,522….1,731……2,468

Espanha

06/06……-0,390…-0,076……0,606

05/06……-0,390…-0,057……0,627

Fonte: Bloomberg Valores de ‘bid’ (juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida) que compara com fecho da última sessão.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

Outros conteúdos GMG
Juros da dívida portuguesa caem para mínimos de sempre a cinco e 10 anos