Digitalização

Mais de metade dos líderes receia futuro da empresa

Indústria automóvel é uma das mais afetadas pela digitalização. Fotografia: Direitos Reservados
Indústria automóvel é uma das mais afetadas pela digitalização. Fotografia: Direitos Reservados

Estudo da Fujitsu sobre digitalização destaca que clientes são o grupo que mais influencia a resposta das companhias

As empresas não vão existir na sua forma atual nos próximos cinco anos por causa da transformação digital. Esta é a convicção de mais de metade (52%) dos líderes de companhias que participaram num inquérito da Fujitsu sobre a digitalização. Os clientes são o grupo que mais influencia a resposta das empresas, segundo 45% dos inquiridos do estudo “Digital Disruption and the Evolution of Business”.

Praticamente todos os inquiridos (1 180) acreditam que a empresa que lideram já sofreu os impactos da digitalização e 92% estão convictos de que precisam de evoluir o seu modelo de negócio para conseguir manterem-se competitivas neste contexto. Três quartos dos líderes das empresas esperam alterações profundas nos próximos cinco anos.

Leia aqui: Fujitsu toma conta das operações informáticas da EDP

“Em comparação com dados de há dois anos […], os líderes empresariais estão agora mais confiantes e sabem que precisam não só de acompanhar mas de se esforçar por superar a concorrência e tornarem-se digitais mais depressa, com confiança, estratégia e, em última análise, grande sucesso. A pressão de florescer perante a digitalização é evidente nas conclusões deste estudo”, comenta Duncan Teit, responsável da Europa, Médio Oriente, África e América da Fujitsu, citado em comunicado.

O estudo mostra ainda que os finlandeses (97%) são os mais favoráveis a uma digitalização das empresas, enquanto os espanhóis (36%) são os que menos estão disponíveis para esta transformação.

Mais de dois terços dos inquiridos (67%) defendem que a sua empresa tem de colaborar com parceiros tecnológicos. Duncan Tait nota que com estas parcerias as empresas “não serão ultrapassadas pelo digital” e poderão “avançar, inovar e prosperar para recolher todas as vantagens que a era digital oferece”.

Para o estudo da Fujitsu foram contactados 1 180 líderes de empresas de países como Estados Unidos, Austrália, França, Espanha, Itália, Reino Unido, Finlândia, Alemanha e Suécia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Outros conteúdos GMG
Mais de metade dos líderes receia futuro da empresa