Coronavírus

Marcelo. “Estamos todos a remar no mesmo sentido”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fala ao país sobre a declaração de estado de emergência devido á pandemia de Covid-19, no Palácio de Belém, em Lisboa, 18 de março de 2020. O Presidente da República decretou hoje o estado de emergência em Portugal, por 15 dias, devido à pandemia de Covid-19. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA/MIGUEL FIGUEIREDO LOPES/LUSA
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fala ao país sobre a declaração de estado de emergência devido á pandemia de Covid-19, no Palácio de Belém, em Lisboa, 18 de março de 2020. O Presidente da República decretou hoje o estado de emergência em Portugal, por 15 dias, devido à pandemia de Covid-19. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA/MIGUEL FIGUEIREDO LOPES/LUSA

O Presidente da República admitiu que o pico da pandemia pode ser "um pouco depois de 14 de abril", como previsto até agora.

O Presidente da República deixa uma mensagem de unidade entre todos os que participaram na reunião desta terça-feira para fazer um balanço da evolução da covid-19.

“Estamos todos a remar no mesmo sentido e vamos remar no mesmo sentido e esse é o sinal mais positivo desta reunião”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa em declarações aos jornalistas no final do encontro.

A reunião contou com a presença, para além do Presidente, do primeiro-ministro, do presidente da Assembleia da República e dos líderes partidários com representação parlamentar, e decorreu durante cerca de três horas. Vai repetir-se um encontro deste género no final do mês de março.

“É um equilíbrio difícil, mas também seria difícil esta reunião de hoje, mas todos intervieram”, referindo-se às medidas necessárias para conter a evolução da pandemia em Portugal.

Comprimir a mola
Marcelo Rebelo de Sousa foi inteirado da situação, com a participação de especialistas e da Direção-Geral da Saúde sobre a evolução da pandemia em Portugal.

“Os especialistas dizem que estamos numa mola que se não for travada neste momento tende a multiplicar os efeitos negativos na vida dos portugueses”, sublinhou o Presidente da República, acrescentando que “os portugueses têm compreendido. É preciso manter a compressão na mola”, assinalou o chefe de Estado.

O Presidente indicou ainda que a data para o pico da pandemia pode alterar-se para depois de 14 de abril, como está, até agora, previsto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus turismo turistas

ISEG. Recessão em Portugal pode chegar a 8% este ano

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. JOÃO RELVAS/LUSA

Pedidos de lay-off apresentados por 33.366 empresas

coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Rendimento básico incondicional? “Esperamos não ter de chegar a esse ponto”

Marcelo. “Estamos todos a remar no mesmo sentido”