aviação

Novo aeroporto no Montijo será “solução esgotada entre 2030 e 2035”

Base Aérea n.º 6, no Montijo, que será adaptada para a aviação civil. Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens
Base Aérea n.º 6, no Montijo, que será adaptada para a aviação civil. Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens

Autores do estudo dizem que Montijo é exemplo de como "a decisão política é tomada e depois se desenvolvem as diferentes ações para a justificar"

A capacidade aeroportuária de Lisboa ficará esgotada em apenas oito a 15 anos com a transformação da base aérea do Montijo (BA6) no aeroporto complementar de Lisboa, começando a operar em 2022 como previsto. Esta previsão, que reduz drasticamente os prazos de três a quatro décadas avançados pelo governo para justificar a solução da Portela + Montijo, consta de um artigo – com argumentos de natureza técnica – publicado na última edição doBoletim da Associação da Força Aérea Portuguesa.

Os seus autores têm currículo: são um ex-presidente do LNEC e antigo bastonário dos engenheiros, Carlos Matias Ramos; um general engenheiro de aeródromos, Carlos Brás; um controlador de tráfego aéreo e ex-diretor de navegação aérea da ANA, Jaime Valadares; um piloto aviador e gestor operacional de aeroportos, João Ivo da Silva – os quais alegam que os pressupostos com que o governo tem fundamentado a opção do Montijo são um exemplo de como “a decisão política é tomada e depois se desenvolvem as diferentes ações para a justificar e implementar”.

Leia mais no Diário de Notícias

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, João Proença, durante a sua audição na Comissão de Saúde, na Assembleia da República, em Lisboa, 27 de fevereiro de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

ADSE já enviou novas tabelas de preços aos privados para negociação

Mario Draghi, Presidente do Banco Central Europeu. REUTERS/Kai Pfaffenbach

BCE discutiu pacote de medidas para estimular economia na reunião de julho

Hotéis de Lisboa esgotaram

“Grandes” eventos impulsionaram aumento dos preços na hotelaria em junho

Outros conteúdos GMG
Novo aeroporto no Montijo será “solução esgotada entre 2030 e 2035”