Política

Paulo Portas culpa UE por aumento do populismo na Europa

Paulo Portas
Paulo Portas

Para o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, a questão do 'Islão' é diferente do tema da imigração e dos refugiados.

Paulo Portas considera que a União Europeia é responsável pelo aumento do populismo, nomeadamente em Itália, por não ter uma política concertada e solidária na gestão de fronteiras e na questão da imigração.

Lembrou, esta sexta-feira, num evento na Câmara de Comércio, que Itália chegou a receber 600 mil refugiados em apenas dois anos sem qualquer apoio da União Europeia (UE).

O mesmo sucedeu em Espanha, que sofreu também com a falta de solidariedade da UE na questão dos refugiados, indicou.

“Ou há uma fronteira externa comum” ou não há, afirmou o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros e ex-vice-primeiro-ministro.

Frisou que a questão da imigração e dos refugiados é um assunto diferente da questão ‘Islão’. “Essa é uma discussão diferente”- a reflexão da Europa sobre o efeito de “receber pessoas com valores muito diferentes dos dos europeus”.

Salientou que a Europa precisa de imigrantes, incluindo para mão-de-obra, e que será essencial assegurar que as empresas europeias tenham trabalhadores disponíveis no futuro.

“Ou escolhemos a imigração que queremos ou somos escolhidos pela imigração que não queremos”, avisou.

Em atualização

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Imagem de 2016 sobre as filas no atendimento para obter o passe do Metro, esta tarde na estação do Campo Grande em Lisboa. 
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Passe Família já pode ser pedido. Mas prepare-se para a burocracia

Imagem de 2016 sobre as filas no atendimento para obter o passe do Metro, esta tarde na estação do Campo Grande em Lisboa. 
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Passe Família já pode ser pedido. Mas prepare-se para a burocracia

Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Programa Regressar arranca. Governo dá incentivo até 6500 euros a emigrantes

Outros conteúdos GMG
Paulo Portas culpa UE por aumento do populismo na Europa