debate

Portugal debate duas décadas de Sociedade da Informação e Conhecimento

sociedade de informação

O evento teve lugar na Fundação Portuguesa das Comunicações, em Lisboa.

O caminho português em direção à digitalização começou há 20 anos. Para celebrar a efeméride realizou-se na Fundação Portuguesa das Comunicações, em Lisboa, uma sessão comemorativa das duas décadas de Sociedade da Informação e Conhecimento em Portugal.

O debate contou com várias personalidades da área, de entre as quais Pedro Veiga, professor da Universidade de Lisboa e um dos fundadores da Missão para a Sociedade da Informação, Célia Reis, diretora-geral da Altran, e ainda Arlindo Oliveira, presidente do Instituto Superior Técnico.

O moderador da sessão, Francisco Jaime Quesado, gestor do programa da Sociedade do Conhecimento entre 2002 e 2010, recordou à plateia o caráter inovador das decisões tomadas há 20 anos em Portugal de apostar de forma sustentada através da política pública na mobilização da sociedade e da economia portuguesa para a utilização inteligente das Tecnologias de Informação e Comunicação, relevando o papel de liderança de José Mariano Gago e Diogo Vasconcelos na consolidação dessa agenda de futuro.

Da memória dos 20 anos detalhada por Pedro Veiga a uma reflexão sobre o papel do digital e da Inteligência Artificial no presente e no futuro feita por Célia Reis e Arlindo Oliveira, ficou uma mensagem de confiança na consolidação de uma agenda de inovação, criatividade e inclusão que permita ao nosso país desafios positivos para o futuro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Portugal debate duas décadas de Sociedade da Informação e Conhecimento