Portugal entre os Estados-membros participantes de empresa europeia de supercomputadores

Portugal é um dos 25 Estados-membros da União Europeia (UE) parceiros da empresa comum EuroHPC que hoje recebeu luz verde para desenvolver supercomputadores, com um orçamento de mil milhões de euros.

Portugal é um dos 25 Estados-membros da União Europeia (UE) parceiros da empresa comum EuroHPC que hoje recebeu luz verde para desenvolver supercomputadores, com um orçamento de mil milhões de euros.


A proposta da Comissão europeia de estabelecer a EuroHPC recebeu hoje luz verde do Conselho da UE, com um orçamento de mil milhões de euros, metade do orçamento da UE e metade de contribuições dos 25 Estados-membros participantes, incluindo Portugal.


A empresa será estabelecida em novembro de 2018 e estará operacional a partir do início de 2019 até ao final de 2026, com o objetivo de criar uma infraestrutura de supercomputação pan-europeia.


A euroHPC irá comprar e instalar na UE “dois supercomputadores que estejam entre os 5 melhores do mundo e pelo menos dois outros que figurariam hoje entre os primeiros 25 a nível mundial”, segundo o comunicado.


Estas máquinas serão interligadas com os supercomputadores nacionais existentes e disponibilizados a utilizadores públicos e privados em toda a Europa, para utilização em mais de 800 domínios de aplicação científica e industrial.


A empresa comum irá também apoiar “o desenvolvimento de um ecossistema europeu de supercomputação, estimulando a indústria de fornecimento de tecnologia e disponibilizando recursos de supercomputação, em muitos domínios de aplicação, a um grande número de utilizadores públicos e privados, incluindo as pequenas e médias empresas”.


Até à data, os seguintes países europeus comprometeram-se a aderir à empresa comum: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Polónia, Portugal, República Checa e Roménia.


Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Portugal entre os Estados-membros participantes de empresa europeia de supercomputadores