Coronavírus

Portugal regista o maior aumento diário de mortos desde 01 de junho

O comerciante Tony, posa para a fotografia na sua loja em Feces de Abaixo, na Galiza, Espanha, 26 de junho de 2020. Com a atividade comercial e o turismo prontos a regressar ao normal os comerciantes de Chaves aguardam com expectativa a reabertura das fronteiras terrestres para voltarem a receber os vizinhos espanhóis e alcançarem a recuperação económica. Encerradas desde 16 de março devido à pandemia da coronavirús(covid-19), as fronteiras terrestres entre Portugal e Espanha reabrem dia 01 de julho. (ACOMPANHA TEXTO DA LUSA DO DIA 30 DE JUNHO DE 2020). PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA
O comerciante Tony, posa para a fotografia na sua loja em Feces de Abaixo, na Galiza, Espanha, 26 de junho de 2020. Com a atividade comercial e o turismo prontos a regressar ao normal os comerciantes de Chaves aguardam com expectativa a reabertura das fronteiras terrestres para voltarem a receber os vizinhos espanhóis e alcançarem a recuperação económica. Encerradas desde 16 de março devido à pandemia da coronavirús(covid-19), as fronteiras terrestres entre Portugal e Espanha reabrem dia 01 de julho. (ACOMPANHA TEXTO DA LUSA DO DIA 30 DE JUNHO DE 2020). PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA

Portugal regista hoje mais 13 óbitos por covid-19, em relação a quarta-feira, o que representa o maior aumento diário desde 01 de junho.

Em termos percentuais, o aumento do número de óbitos foi de 0,8% (passou de 1.631 para 1.644) e os 13 casos registados nas últimas 24 horas foram todos na Região de Lisboa e Vale do Tejo, que regista 527 mortes ao todo.

Por outro lado, os 13 óbitos são contabilizados depois de a DGS ter registado, na quarta-feira, apenas duas mortes por covid-19, o número mais baixo desde 21 de junho, dia em que o boletim diário apontava dois óbitos.

Apesar do aumento do número de óbitos, o número de pessoas internadas nos cuidados intensivos tem-se mantido relativamente estável no último mês, variando entre os 65 e os 79 doentes, número registado em 01 de julho.

Segundo os dados referentes às últimas 24 horas, a DGS regista menos uma pessoa internada nos cuidados intensivos, sendo agora 73.

Além destas, a DGS regista hoje 487 pessoas internadas, menos 25 em relação ao dia anterior.

Lisboa e Vale do Tejo é há cerca de dois meses a região onde, diariamente, se regista a maioria dos novos casos.

Atualmente, a região regista um total de 21.584 infetados, tendo contabilizado 328 novos casos nas últimas 24 horas.

A última vez que Lisboa e Vale do Tejo registou menos de metade do total de novos casos diários registados em Portugal foi em 10 de maio. Nesse dia, foram contabilizados 76 novos casos na região, em comparação com os 175 registados no país.

O boletim de hoje volta a referir que cerca de 200 casos continuam ainda por incluir no total na Região de Lisboa e Vale do Tejo, referentes a testes realizados por um laboratório privado que em três dias da semana passada não os registou no sistema para o efeito, estando a sua distribuição ainda a ser analisada pelas autoridades de saúde.

Depois de Lisboa e Vale do Tejo surge a Região Norte (17.957 casos), a Região Centro (4.245), o Algarve (com 683 casos) e o Alentejo (562). Os Açores têm 151 infetados e a Madeira 95 casos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Portugal regista o maior aumento diário de mortos desde 01 de junho