OE2019

Progressões na função pública serão pagas até ao final de 2019

José Abrão, presidente da FESAP (Federação de Sindicatos da Administração Pública)

(JFS / Global Imagens)
José Abrão, presidente da FESAP (Federação de Sindicatos da Administração Pública) (JFS / Global Imagens)

O Governo vai acelerar o pagamento das progressões e concluir até ao final de 2019. FESAP anuncia pré-aviso de greve para dia 26 de outubro.

O governo vai acelerar o pagamento das progressões e decidiu não prolongar para 2020 o seu faseamento.

Os funcionários públicos que reúnam condições para progredir nas carreira a partir de janeiro de 2019 vão receber a totalidade do acréscimo remuneratório a que têm direito até ao final desse ano.

Esta decisão foi transmitida aos dirigentes da Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP), a primeira estrutura sindical a ser recebida esta sexta-feira no Ministério das Finanças para uma ronda de reuniões que conta com a presença de Mário Centeno.

Na proposta inicial que enviou aos sindicatos, o governo dividia em quatro fases o pagamento das progressões atirando para 2020 metade do valor a que os trabalhadores têm direito.

Mas já não vai ser assim. “O descongelamento das progressões que chegarem em 2019 já não vai até 2020. Ficará concluído em 2019”, precisou o secretário-geral da FESAP, José Abraão.

O novo calendário de pagamento faseado ainda não é conhecido.

Ainda que esta mudança vá ao encontro do que defendem os sindicatos está longe de satisfazer as suas reivindicações. Sobretudo no que diz respeito a aumentos salariais.

Apesar de haver essa expectativa o governo não levou para esta reunião nenhuma proposta e no final a FESAP anunciou que aprovou um pré-aviso de greve para dia 26 de outubro.

“O ministro não deu qualquer resposta as reivindicações da FESAP”, precisou José Abraão acrescentando que Centeno “se limitou a fazer um discurso justificativo do esforço que já foi feito para repor rendimentos”.

O dirigente sindical precisou que põe ausência de resposta do governo não houve qualquer proposta sobre aumentos salariais, tendo o fecho dessa questão ficado para o Conselho de Ministros deste sábado.

“Há questões em que há avanços mas são insuficientes” disse ainda, adiantando que a FESAP emitiu um pré-aviso de greve para o final deste mês. A data escolhida coincide com a da Frente Comum (afeta à CGTP), porque “somos todos trabalhadores da administração pública e queremos aumentos para todos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
psp

Governo prevê poupar 3 milhões com fardas de militares e polícias

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: Maria João Gala / Global Imagens

Gastos com gabinetes sobem quase 2%

Pequim gostaria de trabalhar com Washington

Portugal e China discutem comércio e investimento em Pequim

Outros conteúdos GMG
Progressões na função pública serão pagas até ao final de 2019