Solidariedade

Rede de Emergência Alimentar ajuda 65 mil pessoas a comer durante a pandemia

apoio
DR

Isabel Jonet destaca a importância de nova ferramenta digital para obter donativos de 13 mil pessoas e dar apoio a quem precisa durante a pandemia

Foi durante a apresentação de resultados do domínio .pt, por parte da Associação DNS.pt, que se ficaram a saber alguns dados relevantes sobre um projeto alimentar online criado durante a pandemia e associado ao Banco Alimentar.

Isabel Jonet, Presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, revelou num vídeo que passou esta manhã no evento da DNS.pt que a Rede de Emergência Alimentar foi um projeto online para dar resposta às situações mais complicadas durante a pandemia e ajudar a manter o distanciamento físico necessário nesta altura. “Foi um ferramenta digital que permitiu estar perto de todos os que precisavam”, admite.

Além de angariar 1144 pessoas de todo o país que ofereceram o seu tempo para ajudar, houve mais de 13 mil a doar bens pela plataforma digital criada em tempo recorde e em parceria com a Entrajuda, instituições de solidariedade social e juntas de freguesia. “Tivemos mais de 20 mil pedidos de ajuda e temos conseguido dar apoio a mais de 65 mil pessoas com esta solução digital”, admite Jonet, que explica que o Banco Alimentar “ajuda neste momento mais de 400 mil pessoas a ter o que comer”.

Os sites .pt tiveram um crescimento exponencial desde março, com muitas empresas a verem-se obrigados a virar-se para o mundo digital para se manter em atividade e em contacto com os seus clientes. Nesse contexto, houve em abril 67% de crescimento face a 2019 do número de registo de sites .pt, algo que se tem mantido inclusive em agosto, com 35% – a média anual vai nos 25% de crescimento. Um dos setores que faz parte desse crescimento foi precisamente os projetos de solidariedade social (além dos de restauração, serviços domésticos e ginásios).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

(João Silva/ Global Imagens)

Estrangeiros compraram menos casas em Portugal em 2019. Preço por imóvel subiu

(JOSÉ COELHO/LUSA)

Cadeias de retalho contra desfasamento de horários. Aguardam publicação da lei

Rede de Emergência Alimentar ajuda 65 mil pessoas a comer durante a pandemia